Fixar o movimento: representações da música rap em Portugal

Autores

  • Sandra Regina Soares da Costa Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

Como objeto de estudo, a música tem trajetória peculiar na antropologia. Se lhe foi dado destaque suficiente para que constituísse uma subdisciplina — a etnomusicologia — seu campo é um terreno movediço. O mesmo acontece com a antropologia da música, ainda carente de unidade metodológica.

Biografia do Autor

Sandra Regina Soares da Costa, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutora e mestre em Antropologia Social (2006/2002) pelo Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGAS/MN/UFRJ). Graduou-se em Ciências Sociais (2000) pela Universidade Federal Fluminense (ICHF/UFF). É professora adjunta do Dept. de Ciências Sociais e do Programa de Pos-Graduação em Ciências Sociais da UFES. Atua na área de Antropologia Urbana. Tem desenvolvido pesquisas com as temáticas: cidadania e camadas populares, conflitos e mediações, juventude e violência.

Downloads

Publicado

2003-01-01

Edição

Seção

Resenhas