Entre indígena e nacional, modernidade e primitivismo: ambigüidades na construção de identidades

Autores

  • Patrícia Reinheimer UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

Desapropriações e reapropriações: antagonismos íntimos
como Diretor do Centro de Pesquisa Cross-Cultural da Universidade Nacional Australiana, Possessions: Indigenous Art /Colonial Culture é urna continuação de outros estudos de Nicholas Thomas que lidam com o tema colonialismo e cultura visual no Pacífico, assunto explorado, de formas variadas, em livros e coletâneas por ele organizadas (1995, 1999, 1994). O livro explora a arte produzida a partir das interações entre settlers e indígenas na Austrália e Nova Zelândia, questionando as noções de 'primitivismo' e 'modernismo' e investigando a relação
dos europeus com a arte indígena, assim como a presença da arte indígena no mundo da arte contemporânea australiano e neozelandês.

Biografia do Autor

Patrícia Reinheimer, UFRJ

Possui mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e atualmente é doutoranda nessa mesma área e instituição. No doutorado trata das transformações no campo artístico brasileiro a partir da Segunda Guerra Mundial, como a geopolítica, a Guerra Fria principalmente, e a instituição de várias arenas de debates internacionais que contribuíram para a formação de novas representações sobre ser artista no Brasil. Tem trabalhado com a questão da linguagem estética, do academicismo à arte contemporânea, passando pela arte moderna, com o surgimento de novas instituições, notadamente, a bienal de São Paulo e os museus de arte moderna, em um processo que mudou tanto as representações do que era arte como a do que era ser artista.

Downloads

Publicado

2005-01-01

Edição

Seção

Ensaio Bibliográfico