Da mente ao corpo? A centralidade do corpo nas culturas da Nova Era

Autores

  • Sônia Weidner Maluf UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Religiosidades brasileiras – Nova Era – Corpo - Terapia

Resumo

Este artigo discute a centralidade do corpo e das práticas corporais nas redes terapêuticas e espirituais ligadas às chamadas culturas da Nova Era no Brasil. Em primeiro lugar, busca-se descrever e discutir sobre como o corpo e seus processos são percebidos nas experiências terapêutico-espirituais na rede pesquisada durante meados dos anos 90 em Porto Alegre e Florianópolis. Em segundo lugar, discute-se até que ponto a centralidade e o foco dado ao corpo é uma característica específica das culturas da nova era, ou trata-se de uma característica das culturas urbanas contemporâneas.

Biografia do Autor

Sônia Weidner Maluf, UFSC

possui graduação em Comunicação Social Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1984), mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (1989), mestrado em Diplôme D'etudes Approfondies em Antropologia - Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (1992) e doutorado em Anthropologia Sociale Et Ethnologie - Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales (1996). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, antropologia da pessoa e modos contemporâneos de subjetivação, corpo e saúde, narrativa, religiosidades brasileiras.

Downloads

Publicado

2005-01-01

Edição

Seção

NÚMERO 2: Seção Temática Saúde, Religião e Corpo