A precarização de políticas públicas e suas repercurssões na auto-sustentação dos kaingang do oeste catarinense

Autores

  • Neusa Maria Sens Bloemer Universidade do Vale do Itajaí
  • Aneliese Nacke Núcleo de Estudos dos Povos Indígenas

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2008v10n1p81

Resumo

Este artigo trata da população kaingang no oeste catarinense localizada nas arcas indigenas de Xapeco Toldo Chimbangue Toldo Pinhal Toldo Imbu e Aldeia Conda terras que se encontram em diferentes condições juridicas A situação socioeconômica deste povo comprova que as polnicas publicas não atendem as suas demandas e reivindicações dificultando a reprodução social das unidades familiares especialmente daquelas que resistem ao modelo de agricultura produtivista Neste processo fica caracterizado que o Estado brasileiro continua se omitindo como o fez historicamente no atendimento as solicitações dos indigenas bem como de suas responsabilidades descumprindo o que determina os direitos constitucionais desses povos.

Downloads

Publicado

2008-08-16

Como Citar

BLOEMER, Neusa Maria Sens; NACKE, Aneliese. A precarização de políticas públicas e suas repercurssões na auto-sustentação dos kaingang do oeste catarinense. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 81–102, 2008. DOI: 10.5007/2175-8034.2008v10n1p81. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2008v10n1p81. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Cultura e Desenvolvimento