Memória, mídia e imaginário social: o caso Porongos.

Autores

  • Cristian Jobi Salaini Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ana Paula Comin de Carvalho Intituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2008v10n2p155

Palavras-chave:

Mídia, Memória coletiva, Imaginário social, Identidade social, Identidade étnica

Resumo

Este artigo aborda a relação entre mídia e a reelaboração de identidades sociais no Rio Grande do Sul tomando enquanto caso de análise a evocação de memória coletiva que ocorre, nos últimos anos, em torno da participação negra na Revolução  Farroupilha (1835-1845), no Rio Grande do Sul. O interesse é ressaltar o fato de duas produções - um longa-metragem e uma minissérie - terem sido alvo de reelaborações, questionamentos e até mesmo produtores de legitimidade a atores sociais preocupados em discutir a questão. A minissérie "A Casa das Sete Mulheres", exibida pela Rede Globo em 2003, e o filme "Netto Perde Sua Alma", produzido em 2001, "efervesceram" a opinião pública no que diz respeito à participação negra já no final de tal revolução. Nos interessa, aqui, ressaltar um processo de "retroalmentação" entre mídia e identidades sociais.

Downloads

Publicado

2008-12-15

Edição

Seção

Seção Temática: Antropologia e Comunicação