A aprendizagem no samba: Notas para o estudo de intensidades numa iniciação à etnomusicologia.

Autores

  • Ana Ferraz Universidade Federal Fluminense/UFF

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2011v13n1-2p225

Palavras-chave:

Aprendizagem, samba, memória, etnografia

Resumo

Estudo a aprendizagem na música popular, na contato com jovens de classes trabalhadoras, moradores de grandes cidades que participam de rodas de samba. Um exame dos discursos sobre um modo de aprender particular “de ouvido”, que “tira a música”, nos expõe saberes e práticas mobilizados na performance de tais grupos, em sua prática de constituição do campo do samba “de raiz” ou “da velha guarda”. Uma etnografia do fazer musical localiza no canto e no ritmo um fazer que organiza encontros orgiásticos intergeracionais. Diferente das abordagens que pensam o samba em relação a sua ‘origem’ ou segundo a interpretação que visa caracterizar um ethos formador de identidade nacional, viso proceder a uma escuta que anota intensidades, grandeza que reúne na mesma categoria noções de tempo, corporalidade e força que  marcam um fazer específico, experiências particulares do tempo.

Biografia do Autor

Ana Ferraz, Universidade Federal Fluminense/UFF

CCoordenadora do Laboratorio do Filme Etnografico da UFF

Downloads

Publicado

2012-12-03

Edição

Seção

Dossiê Antropologias em Performance II (segunda parte)