As vacas da discórdia: Gestão e raça do rebanho entre os criadores de vacas montbéliardes na Haute-Savoie, França

Autores

  • Jeremy Deturche

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2012v14n1-2p139

Resumo

A mecanização e a modernização das técnicas de criação transformaram a paisagem sociocultural no interior da França, modificando as relações entre o criador e seu rebanho. Este artigo propõe mostrar como as técnicas atuais influenciam estas relações e quais são as repercussões na organização sociopolítica dos criadores. O rebanho se tornou um dos eixos da exploração, introduzindo a figura do criador gerente e rompendo, assim, os vínculos entre as famílias de criadores e os rebanhos, vistos nas criações tradicionais. Os criadores, organizados em “grupos profissionais locais” utilizam o rebanho como uma âncora para se posicionarem no jogo sociopolítico regional, recortando divisões com expressões sociossimbólicas mais amplas, como planície/montanha, por exemplo. A raça do rebanho possui aqui um papel fundamental de linha de fratura dividindo paisagem da criação na Haute-Savoie.

Downloads

Publicado

2012-12-29

Como Citar

DETURCHE, Jeremy. As vacas da discórdia: Gestão e raça do rebanho entre os criadores de vacas montbéliardes na Haute-Savoie, França. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 14, n. 1,2, p. 139–169, 2012. DOI: 10.5007/2175-8034.2012v14n1-2p139. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2012v14n1-2p139. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

NÚMERO 2: Artigos