Megaeventos e Unidades de Polícia Pacificadora: representações sobre o lugar das favelas no tecido urbano

Autores

  • Luis Claudio Palermo Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ/Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPCIS).

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2013v15n1-2p311

Resumo

A implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) gerou grande visibilidade política ao governo do Estado do Rio de Janeiro. Este passou a utilizar o projeto no sentido de sublinhar as características positivas e os aspectos de mudança, no que se refere às políticas de segurança nas favelas. Visamos colocar este discurso em perspectiva crítica e mostrar outra dimensão das UPPs que se relaciona ao seu sentido de continuidade. Assim, utilizamos uma fonte pouco conhecida e divulgada para estabelecer uma relação entre os megaeventos e a implantação das UPPs. A construção deste objeto, pois, propiciou-me colocar em discussão as representações das favelas e seus moradores, propondo outras interpretações sobre o referido projeto de segurança. Portanto, o artigo visa iluminar, utilizando-se de uma leitura crítica das fontes e com base na literatura científica sobre o tema, o que o projeto das UPPs guarda de continuidade na relação favela e cidade.

Downloads

Publicado

2013-12-22

Como Citar

PALERMO, Luis Claudio. Megaeventos e Unidades de Polícia Pacificadora: representações sobre o lugar das favelas no tecido urbano. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 15, n. 1,2, p. 311–330, 2013. DOI: 10.5007/2175-8034.2013v15n1-2p311. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2013v15n1-2p311. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

NÚMERO 2: Artigos