Philipe Descola e a Virada Ontológica na Antropologia

Autores

  • Luiz César de Sá Júnior Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2014v16n2p7

Resumo

Este artigo pretende mostrar ao leitor um conjunto de teorias antropológicas, em vias de produção, que se inscreve num movimento filosófico geral chamado de “virada ontológica”. Após realizar a síntese de alguns pressupostos fundamentais, será tratada a principal obra do antropólogo Philippe Descola, Par-delà nature et culture, na qual desponta uma elaboração teórica que concilia materiais históricos e etnográficos a teorias estruturalistas. Argumenta-se, por fim, que esse modelo pode ser proveitoso para as demais disciplinas do campo das humanidades.

Downloads

Publicado

2014-12-15

Como Citar

DE SÁ JÚNIOR, Luiz César. Philipe Descola e a Virada Ontológica na Antropologia. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 007–036, 2014. DOI: 10.5007/2175-8034.2014v16n2p7. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2014v16n2p7. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

NÚMERO 2: Artigos