Ensaios críticos, vanguarda e intelectualidade – guerreiro Ramos, o não contemporizador

Autores

  • Raul Antelo Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2016v18n1p15

Resumo

Quais foram as circunstâncias históricas e os guias intelectuais que forneceram a Guerreiro Ramos tanto a força para sua crítica da política cultural quanto seus constantes apelos à ação? O propósito principal deste texto é situar as ideias de Guerreiro no contexto dos argumentos intelectuais de sua época. Tentamos iluminar a relação entre sua incipiente obsessão com o pensamento de Hegel e Nietzsche e seus trabalhos sociais derradeiros.

Biografia do Autor

Raul Antelo, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil

Graduado em Letras Modernas pela Universidad de Buenos Aires (1974) e em Língua Portuguesa pelo Instituto Superior del Profesorado en Lenguas Vivas (1972), mestrado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (1978) e doutorado em Literatura Brasileira pela mesma Universidade (1981). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: modernismo e modernidade, poesia e crítica cultural contemporânea.

Downloads

Publicado

2016-10-19

Edição

Seção

Artigos