A magia da canção, a invenção da tradição e a estruturação do tempo entre os shipibo, Amazónia peruana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2018v20n1p17

Palavras-chave:

Conhecimento Indígena, Shipibo-Konibo, Música Ritual, Mitologia, Futuro não Remoto

Resumo

O canto dos Shipibo-Konibo (grupo indígena das terras baixas peruanas) em curas
rituais revela que um marcador de tempo em sua linguagem vernacular pode se referir a
um passado mítico e a um “mundo espiritual” do presente. Neste artigo serão
apresentados e analisados o passado recente do grupo no que diz respeito à bebida
ayahuasca, o significado de seus trançados e sua identidade “étnica”. Aqui será
observado que o passado é flexível, ou não fixo, permitindo alterações dependentes de
narrações, de canções e de representações rituais.

Downloads

Publicado

2018-10-01

Edição

Seção

Dossiê Sons e Etnografias