Apólogo das amebas

Autores

  • Juliana P. Lima Caruso
  • Tiago Hyra Rodrigues
  • Beatriz Perrone Moisés

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2018v20n2p207

Palavras-chave:

Lévi-Strauss, Relações sociais, Formas de vida, Guerra, Aliança

Resumo

A versão original do texto a seguir faz parte de uma coletânea de textos dedicados a
Françoise Héritier. Nesse breve apólogo, Lévi-Strauss retoma, em diálogo com grandes
pensadores das humanidades e o saber da biologia, a grande questão da natureza do social –
do lugar da sociabilidade. Trata-se aí de troca, de origens da linguagem, de relações entre
humanos e grandes símios, de células e transmissores químicos. A consideração atenta da vida
das amebas enseja reflexões sobre cooperação e conflito, em conversa com a sociologia
durkheimiana e a tradição filosófica; uma pérola de maturidade, que desafia barreiras
disciplinares e pressupostos instalados, movendo a repensar grandes questões fundadoras.

Biografia do Autor

Juliana P. Lima Caruso

Doutora em Antropologia pela École Pratique des Hautes Études- EPHE , pesquisadora associada ao LAS (Laboratoire d´Anthropologie Sociale). Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008), mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2011). Atuando principalmente no seguintes temas: parentesco, casamento, fuga , incesto , redes empíricas de parentesco e programas computacionais de parentesco.

Tiago Hyra Rodrigues

Pós-doutorando vinculado ao Programa Internacional de Pós-Doutorado do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento - CEBRAP. Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2003), com Mestrado (2006) e Doutorado (2011) em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina. Realizou Pós-doutorado no Centre dAnalyse et dIntervention Sociologiques - CADIS - da École des Hautes Études en Sciences Sociales -EHESS-CNRS (2016-17) Pesquisa na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia das Violências e Antropologia Urbana, em temas como Educação em Direitos Humanos, Associativismo Civil, Movimentos Sociais, Violências, Risco e Prevenção. É pesquisador do LEVIS (Laboratório de estudos das Violências da Universidade Federal de Santa Catarina), membro associado ao CADIS (EHESS/CNRS), parecerista ad hoc de diversos periódicos nacionais e membro do corpo editorial da Comunidade Virtual de Antropologia

Beatriz Perrone Moisés

Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1982), Mestre em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (1990) e Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (1996). Pós-doutorado EHESS-França (2003). Livre-docente em Etnologia Americanista pela FFLCH - USP (2015). Professora do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo e pesquisadora do Centro de Estudos Ameríndios (CEstA-USP).

Downloads

Publicado

2019-01-17

Edição

Seção

Tradução