Limitar o limite: modos de subsistência

Autores

  • Alexandre Nodari Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2019v21n1p68

Resumo

Diante da catástrofe ambiental em curso, o debate sobre os limites (materiais, planetários) vem ao primeiro plano: como lidar com eles?, como agir em relação a eles? O exercício aqui proposto é uma breve e seletiva cartografia de práticas políticas, estéticas e teóricas que, lidas sob o manto de uma noção revisitada de subsistência e da Antropofagia de Oswald de Andrade, constituem estratégias que fogem à alternativa infernal da lógica da lei e do limite, a saber, a opção entre obediência e transgressão, apontando para uma incorporação desmetrificadora do limite e sua conversão em acesso a uma dimensão que desconhece limites.

Biografia do Autor

Alexandre Nodari, Universidade Federal do Paraná

Professor de Literatura Brasileira e Teoria Literária da UFPR; colaborador dos Programas de Pós-Graduação em Letras e Filosofia da mesma instituição. Editor da revista Letras e coordenador do SPECIES - Núcleo de antropologia especulativa (http://speciesnae.wordpress.com/). Fez o doutorado sobre o conceito de censura e o mestrado sobre a Antropofagia, ambos no PPGL/UFSC sob orientação de Raúl Antelo. Co-ministrou, com Eduardo Viveiros de Castro, o seminário de pós-graduação ?Do matriarcado primitivo à sociedade contra o Estado: cartografia da hipótese antropofágica? no Museu Nacional/UFRJ (2012). Colaborou em volumes coletivos e publicou artigos em periódicos nacionais e internacionais. Em 2011, co-ministrou algumas sessões do seminário de pós-graduação (na UBA) ?Sacro Poder?, a cargo de Fabián Ludueña e Emanuele Coccia. Membro do conselho editorial da Cultura e Barbárie (para a qual traduziu alguns livros) e editor do panfleto político-cultural Sopro (http://www.culturaebarbarie.org/sopro), no qual publicou e traduziu diversos texto

Downloads

Publicado

2019-10-07

Como Citar

NODARI, Alexandre. Limitar o limite: modos de subsistência. Ilha Revista de Antropologia, Florianópolis, v. 21, n. 1, p. 068–102, 2019. DOI: 10.5007/2175-8034.2019v21n1p68. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ilha/article/view/2175-8034.2019v21n1p68. Acesso em: 22 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Cosmopolíticas da Terra contra os limites da territorialização