Como assim, cidade do interior? Antropologia, urbanidade e interioridade no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8034.2021.e74075

Resumo

No Brasil, há uma vasta e consolidada produção antropológica e sociológica sobre a relação entre o mundo rural e o contexto urbano, apontando geralmente de forma crítica para a dificuldade de se considerar esses domínios como opostos absolutos. No cotidiano, muitas pessoas falam de interior ou de uma qualidade interiorana, para designar lugares e relações sociais, para além dos domínios analíticos do rural e do urbano definidos pela produção acadêmica. Embora tenha-se dado atenção às realidades interioranas em inúmeras pesquisas, a indefinição do conceito ainda persiste. Trata-se aqui de contribuir para o aprimoramento da definição do conceito, propondo a noção de interioridade para lidar com a relação entre ruralidade e etnicidade/racialidade na conformação da urbanidade, principalmente no contexto amazônico. 

Biografia do Autor

Bruno Rodrigo Carvalho Domingues, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestrando em Antropologia Social - Universidade Federal do Rio Grande do SulGraduado em Ciências Sociais - Universidade Federal do ParáBolsista da CAPES

Fabiano Gontijo, Universidade Federal do Pará

Professor Titular de Antropologia - Universidade Federal do ParáDoutor em Antropologia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (2000)Bolsista de Produtividade em Pesquisa (CNPq) - nível 2

Referências

BEMERGUY, Telma de S. Antropologia em qual Cidade? Ou Por Que a “Amazônia” Não é Lugar de “Antropologia Urbana”. Ponto Urbe, São Paulo, n. 24, 2019. Disponível em: https://doi. org/10.4000/pontourbe.6464. Acesso em: 18 fev. 2020.

BOURDIEU, Pierre. La Distinction. Paris: Seuil, 1979. BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

BUARQUE DE HOLANDA, Sérgio. O Semeador e o Ladrilhador. In: BUARQUE DE HOLANDA, Sérgio. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995 [1936]. p. 93-138.

CÂNDIDO, Antônio. Os Parceiros do Rio Bonito. São Paulo: Editora 34, 1997 [1954].

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. O Movimento dos Conceitos na Antropologia. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 36, p. 13-31, 1993. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/ article/view/111381. Acesso em: 18 fev. 2020.

CARNEIRO, Maria José. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, n. 11, p. 53-75, 1998. Disponível em: https://revistaesa.com/ojs/ index.php/esa/article/view/135. Acesso em: 18 fev. 2020.

CARVALHO, Isabel. A invenção do sujeito ecológico: sentidos e trajetórias em educação ambiental. 2001. 354p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

CASTRO, Fábio. A Identidade Denegada. Discutindo as Representações e a Autorrepresentação dos Caboclos na Amazônia. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 56, n. 2, p. 431-475, 2013. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ra/article/view/82538. Acesso em: 15 fev. 2020.

DAS, Veena. Critical Events – An Anthropological Perspective on Contemporay India. New Delhi: Oxford University Press, 1998.

DAS, Veena; POOLE, Deborah (orgs.). Anthropology in the Margins of the State. Nova Delhi; Oxford: Oxford University Press, 2004.

DOMINGUES, Bruno Rodrigo Carvalho. Entre Tradição, Desejo e Poder: uma Amazônia cosmoerótica. 2019. 130p. Monografia (Graduação em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2019.

ELIAS, Norbert. O Processo civilizador. Rio de Janeiro: Zahar, 1993a. ELIAS, Norbert. A Sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Zahar, 1993b.

ERICK [da Silva], Igor. Entre Corpos, Sensações e Paisagens: Reflexões sobre a diversidade sexual e de gênero no interior da Amazônia. 2020. 189p. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2020.

FERNANDES, Estêvão; GONTIJO, Fabiano. Como ser um Queer não enquadrado: axialidades radicais para tempos obscurantistas. Revista de Arqueologia Pública, Campinas, v. 13, n. 1, p. 66-84, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.20396/rap.v13i1.8654870. Acesso em: 18 fev. 2020.

FOUCAULT, Michel, A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1996.

FOUCAULT, Michel. Sécurité, Territoire, Population: Cours au Collège de France (1977-

. Paris: Gallimard; Seuil, 2004a.

FOUCAULT, Michel. Naissance de la Biopolitique: Cours au Collège de France (1978-1979). Paris: Gallimard; Seuil, 2004b.

FRÚGOLI, Heitor. O Urbano em Questão na Antropologia: Interfaces com a Sociologia. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 48, n. 1, p. 133-165, 2005. Disponível em: https:// www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-77012005000100004. Acesso em: 18 fev. 2020.

FRY, Peter. Homossexualidade Masculina e Cultos Afro-Brasileiros. In: FRY, Peter. Para Inglês Ver: identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 1982a. p. 54-86.

FRY, Peter. Da hierarquia à Igualdade: a construção histórica da homossexualidade no Brasil. In:

FRY, Peter. Para Inglês Ver: identidade e política na cultura brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 1982b. p. 87-115.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: LTC, 1988.

GONTIJO, Fabiano. As Experiências da Diversidade Sexual e de Gênero no Interior da Amazônia: apontamentos para estudos nas ciências sociais. Ciência e Cultura, [s.l.], v. 69, n. 1, p. 50-53, 2017. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0009-67252017000100017. Acesso em: 18 fev. 2020.

GONTIJO, Fabiano. Antropologia Fora dos Eixos? Algumas considerações sobre as particularidades da formação de um campo de pesquisas no Piauí, Brasil. Revista FSA, Teresina, v. 12, n. 5, p. 49-62, 2015a. Disponível em: http://www4.fsanet.com.br/revista/index. php/fsa/article/view/962. Acesso em: 18 fev. 2020.

GONTIJO, Fabiano. Sexualidade e Ruralidade no Brasil: o que os estudos rurais e os estudos de gênero e sexualidade (não) dizem sobre essa relação? Vivência: Revista de Antropologia, Natal, v. 1, n. 45, p. 145-158, 2015b. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/ view/8256. Acesso em: 18 fev. 2020.

GONTIJO, Fabiano; DOMINGUES, Bruno; ERICK, Igor. As Experiências da Diversidade Sexual e de Gênero em Quilombos do Nordeste e do Norte do Brasil. Amazônica: Revista de Antropologia, Belém, v. 8, n. 1, p. 62-89, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/ index.php/amazonica/article/view/4725. Acesso em: 18 fev. 2020.

GONTIJO, Fabiano; ERICK, Igor. Diversidade Sexual e de Gênero, Ruralidade, Interioridade e Etnicidade no Brasil: Ausências, Silenciamentos e... Exortações. ACENO, Cuiabá, v. 2, n. 4, p. 24-40, 2015. Disponível em: http://www.periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/aceno/ article/viewFile/3181/pdf. Acesso em: 15 fev. 2020.

GONTIJO, Fabiano; ERICK, Igor. Diversidade Sexual e de Gênero e Pertencimento Étnico na Amazônia Brasileira. Contemporânea: Revista de Sociologia da UFSCAR, São Carlos, v. 10, n. 1, 2020. Disponível em: http://www.contemporanea.ufscar.br/index.php/ contemporanea/issue/view/26/showToc. Acesso em: 18 fev. 2020.

GRAY, Mary L.; JOHNSON, Colin R.; GILLEY, Brian J. (org.). Queering the Countryside: New frontiers in rural queer studies. Nova York; Londres: New York University Press, 2016.

GUIMARÃES, Carmem D. O homossexual visto por entendidos. Rio de Janeiro: Garamond, 2004 [1977].

HANNERZ, Ulf. Exploring the City. Nova York: Columbia University Press, 1980.

HARRIS, Mark. Presente Ambivalente: uma maneira amazônica de estar no tempo. In: MURRIETA, Rui; ADAMS, C.; NEVES, Walter (org.). Sociedades Caboclas Amazônicas. São Paulo: Annablume, 2006. p. 81-108.

HEILBORN, Maria L. Conversa de portão: juventude e sociabilidade em um subúrbio carioca. 1984. 212p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacional, Rio de Janeiro, 1984.

HEILBORN, Maria L. Corpos na Cidade: sedução e sexualidade. In: VELHO, Gilberto (org.).

Antropologia Urbana. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1999. p. 93-102.

HEILBORN, Maria L. Dois é Par: conjugalidade, gênero e identidade. Rio de Janeiro:

Garamond, 2004 [1994].

JIMENO SANTOYO, Myriam. La Vocación Crítica de la Antropología Latinoamericana. Maguaré, Bogotá, n. 18, p. 33-58, 2004. Disponível em: https://revistas.unal.edu.co/index.php/ maguare/article/view/10833/11317. Acesso em: 15 fev. 2020.

JIMENO SANTOYO. Myriam. Naciocentrismo: tensiones y confinguración de estilos en la antropología sociocultural colombiana. Revista Colombiana de Antropología, Bogotá,

v. 43, p. 9-32, 2007. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/rcan/v43/v43a01.pdf. Acesso em: 15 fev. 2020.

KILOMBA, Grada. Plantation Memories: episodes of everyday racism. Münster: Unrast Verlag, 2010.

KROTZ, Esteban. La Generación de Teoría Antropológica em América Latina: silenciamientos, tensiones intrínsecas y puntos de partida. Maguaré, Bogotá, n. 11-12, p. 25-39, 1996. Disponível em: https://revistas.unal.edu.co/index.php/maguare/article/view/17147. Acesso em: 15 fev. 2020.

LANDER, Edgardo (org.). A Colonialidade do Saber. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

LIMA, Deborah de M. The Social Category Caboclo: the History, Social Organization, Identity and Outsider’s Social Classifcation of the Rural Population of an Amazonian Region (the Middle Solimões). 1992. 347p. Tese (Doutorado em Antropologia) – University of Cambridge, Cambridge, 1992.

LIMA, Deborah de M. A Construção História da Categoria Caboclo. Sobre Estruturas e Representações Sociais no Meio Rural. Novos Cadernos NAEA, Belém, v. 2, n. 2, p. 13-51, 1999. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/ncn/article/view/107. Acesso em: 18 fev. 2020.

MOTT, Luiz. Dez Viados em Questão: tipologia dos homossexuais da Bahia. Salvador: Ed. Bleff, 1987.

NOLETO, Rafael da S; MAGNI, Claudia T.; RIETH, Flávia. Cidades do Interior, Interior das Cidades: apresentação. Ponto Urbe, São Paulo, n. 24, 2019. Disponível em: https://journals. openedition.org/pontourbe/6875. Acesso em: 18 fev. 2020.

OLIVEIRA, Maria A. Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro: entre o rural e o urbano. Iluminuras, Porto Alegre, v. 18, n. 45, p. 325-349, 2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/ iluminuras/article/view/79137. Acesso em: 18 fev. 2020.

OLIVEIRA JÚNIOR, Ribamar José; FORTES, Lore. Táticas de Ocupação Política da Rua Álvaro Bomilcar no Interior de Crato-CE. Ponto Urbe, São Paulo, n. 24, 2019. Disponível em: https:// journals.openedition.org/pontourbe/6437#quotation. Acesso em: 18 fev. 2020.

OLIVEIRA VIANA, Francisco, J. Populações Meridionais do Brasil. São Paulo: Editora Nacional, 1936 [1920].

PARKER, Richard G. Masculinity, Feminility, and Homosexuality: on the anthropological interpretation of the sexual meanings in Brazil. In: BLACKWOOD, Evelyn (org.). Anthropology and Homosexual Behavior. Nova York: The Haworth Press, 1986.

p. 142-172.

PEIRANO, Mariza. A teoria vivida e outros ensaios de antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

PERLONGHER, Néstor. O negócio do michê: prostituição viril em São Paulo. São Paulo: Brasiliense, 1987.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del Poder y Clasificación Social. Journal of World-Systems Research, [s.l.], v. 11, n. 2, p. 342-386, 2000. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/ clacso/se/20140506032333/eje1-7.pdf. Acesso em: 16 fev. 2020.

RENTE NETO, Francisco; FURTADO, Lourdes G. A Ribeirinidade Amazônica: algumas reflexões. Cadernos de Campo, São Paulo, v. 24, n. 24, p. 158-182, 2015. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/97408. Acesso em: 16 fev. 2020.

RODRIGUES, Carmem I. Caboclo na Amazônia: a identidade na diferença. Novos Cadernos NAEA, Belém, v. 9, n. 1, p. 119-130, 2006a. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index. php/ncn/article/view/60. Acesso em: 16 fev. 2020.

RODRIGUES, Carmem I. Vem do Bairro do Jurunas: sociabilidade e construção de identidades entre ribeirinhos em Belém. 2006. 360p. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2006b.

ROMERO, Sílvio. História da Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1953 [1888]. (Tomo Primeiro)

SAID, Edward. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

SALLES, Vicente. O Negro na Formação da Sociedade Paraense. Belém: Editora Paka- Tatu, 2004.

SEYFERTH, Giralda. Etnicidade, Política e Ascensão Social: um exemplo teuto-brasileiro. Mana, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 61-88, 1999. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo. php?pid=S0104-93131999000200003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 18 fev. 2020.

SEYFERTH, Giralda. As Identidades dos Imigrantes e o Melting Pot Nacional. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 6, n. 14, p. 143-176, 2000. Disponível em: https://www. scielo.br/pdf/ha/v6n14/v6n14a07. Acesso em: 18 fev. 2020.

SEYFERTH, Giralda. Colonização, Imigração e a Questão Racial no Brasil. In: 25o ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 2001. Anais [...]. 2001. Disponível em: https://www.anpocs.com/index. php/encontros/papers/25-encontro-anual-da-anpocs/st-4/st10-3/4610-gseyferth-colonizacao/ file. Acesso em: 18 fev. 2020.

SIMMEL, Georg. As Grandes Cidades e a Vida do Espírito. Mana, Rio de Janeiro, v. 11,

n. 2, p. 577-591, 2005 [1903]. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0104-93132005000200010. Acesso em: 18 fev. 2020.

SPIVAK, Gayatri C. Pode o Subalterno Falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

TAKETA. Brenda. O Novelo de Dalcídio: Mundo Ribeirinho e Subalternidades Amazônicas no Romance ‘Belém do Grão-Pará’. 2019. 221p. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2019.

VELHO, Gilberto. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

VELHO, Otávio (org.). O Fenômeno Urbano. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

VELHO, Gilberto; VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. O Conceito de Cultura e o Estudo das Sociedades Complexas: uma perspectiva antropológica. Artefato: Jornal de Cultura, Rio de Janeiro, Conselho Estadual de Cultura, n. 1, jan., 1978. Disponível em: https://docero.com.br/ doc/nsncec. Acesso em: 16 fev. 2020.

VIEIRA, Izabelle. Jacarepaguá: uma cidade do interior cravada no imaginário de seus moradores. Ponto Urbe, São Paulo, n. 24, 2019. Disponível em: https://journals.openedition. org/pontourbe/6156. Acesso em: 16 fev. 2020.

WAGLEY, Charles. O Estudo das Comunidades Amazônicas. In: SIMPÓSIO SOBRE A BIOTA

AMAZÔNICA, (Antropologia), v. 2, p. 41-55, 1967. Anais [...]. 1967.

WALLERSTEIN, Immanuel. Capitalismo Histórico & Civilização Capitalista. Rio de

Janeiro: Contraponto, 2001.

WANZELER, Rodrigo. Peixe Frito, Santos e Batuques. 2018. 335p. Tese (Doutorado em Antropologia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2018.

WILLEMS, Emílio. A Aculturação dos Alemães no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1980.

Downloads

Publicado

2021-10-04

Edição

Seção

Artigos