Cultivo in vitro de embriões zigóticos de Butia eriospatha (Mart. ex Drude) Becc.

Bruno Degaspari Minardi, Ana Paula Lorenzen Voytena, Áurea Maria Randi, Gilmar Roberto Zaffari

Resumo


O Butia eriospatha apresenta um processo de germinação lento e desuniforme. Estudos apontam que espécies nativas do gênero Butia estão sofrendo uma série de interferências antrópicas e absorvendo este impacto de tal forma a serem consideradas em risco de extinção. A viabilidade dos embriões e a dormência das sementes são os fatores que interferem significativamente na germinação de sementes. A extração do embrião zigótico e posterior embebição em solução de tetrazólio 0,5% por um período de cinco horas em temperatura ambiente na ausência de luminosidade resultou em 80 % de embriões viáveis de B. eriospatha. Com o objetivo de superar dormência das sementes, foram utilizados diferentes tratamentos de quebra de dormência sendo as maiores taxas de germinação obtidas com embriões excisados e cultivados na ausência de luz. Os meios de cultura utilizados no cultivo dos embriões zigóticos continham variações na concentração de carvão ativado e glutamina para estimular a germinação e desenvolvimento in vitro das plântulas. A inoculação dos explantes em meio MS sólido adicionado de 2,4-D (0,5 mg.L-1), acrescido de carvão ativado (0,25%) e glutamina (0,5 g.L-1), promoveu o maior índice de germinação e o melhor desenvolvimento da plântula. A ausência de carvão ativado induziu a formação de calo, independente da concentração de glutamina. Os resultados do presente trabalho demonstram a viabilidade da produção de mudas in vitro de B. eriospatha a partir do embrião zigótico.

Palavras-chave


Butia eriospatha; tetrazólio; quebra da dormência; germinação in vitro.

Texto completo:

PDF/A


Insula - Universidade Federal de Santa Catarina - Departamento de Botânica - Centro de Ciências Biológicas - Campos Universitário - Trindade - CEP 88040-900 - Florianópolis - SC – Brasil.

ISSN print 0101-9554
ISSNe 2178-4574