O hipertexto e o estranho: causas e efeitos

Autores

  • Everton Vinicius de Santa Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2010v15n1p110

Palavras-chave:

Hipertexto, Foregrounding, Das Unheimlich

Resumo

Segundo Barthes, o texto ideal é aquele que se apresenta em redes múltiplas e que se entrelaça, sem comprometer sua estrutura. Redes ou nós que fazem com que esse texto ofereça um universo de significantes e significados, ou seja, não tem início, é reversível, possui diversas entradas e isso se choca com a noção tradicional de práticas de leitura e escrita linear. Nesse sentido, nosso objetivo é demonstrar como o hipertexto causa "estranheza" partindo do conceito de “estranho” apontado por Freud em seu artigo Das Unheimlich (1919), a fim de que possamos compreender como essa relação obra/leitor vem sendo alterada e provocando sensações de dinamicidade distintas da inércia do papel, como observamos em O Jogo da Amarelinha (1963), de Julio Cortázar, e em textos de temática fantástica, como em E.T.A. Hoffmann e Edgar Allan Poe, não no sentido do assustador, mas do provocativo, do foregrounding que gera causas e efeitos significantes nas práticas literárias digitais conectadas ao ciberespaço.

 

 

Biografia do Autor

Everton Vinicius de Santa, Universidade Estadual de Londrina

Graduado em Letras (2008) e aluno bolsista (CNPQ) do Mestrado em Letras do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina. Desenvolve pesquisas na área de Literatura e Hipertexto e integra o grupo do projeto de pesquisa Hipercontexto: Estudos da Literatura em Meio Eletrônico.

Downloads

Publicado

2010-07-16

Como Citar

DE SANTA, E. V. O hipertexto e o estranho: causas e efeitos. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 110-122, 2010. DOI: 10.5007/2175-7917.2010v15n1p110. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2010v15n1p110. Acesso em: 23 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos