Thomas Bernhard: pensamento fenecido e sujeito ressucitado

Autores

  • Helano Jader Ribeiro UFSC

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2010v15n1p363

Palavras-chave:

Thomas Bernhard, Extinção, Jean-Luc Nancy

Resumo

Este artigo tem o intuito de armar uma discussão acerca do livro do escritor austríaco Thomas Bernhard, Extinção, no concernente à herança da destruição do pensamento pelos nazistas. A extinção de que fala Thomas Bernhard também poderia ser lida como uma extinção do pensamento em nome de um mutismo típico daqueles que sobreviveram e/ou trabalharam nos campos de concentração. Muito já se escreveu sobre Auschwitz, mas a necessidade de continuar com todos os tipos de questionamentos sejam eles no âmbito ético, político ou jurídico é uma obrigação da própria humanidade.

 

Biografia do Autor

Helano Jader Ribeiro, UFSC

Possui graduação em Letras-Germanística pela Universidade Federal do Ceará (2005). Trabalhou de 2006 a 2008 como professor leitor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira na Universidade de Colônia(Alemanha). Desenvolve trabalhos de Literatura Comparada e tradução dentro da temática da modernidade e Walter Benjamin. É membro do Núcleo de Estudos Benjaminianos - NEBEN, onde participa das reuniões semanais, discutindo textos filosóficos e da teoria literária. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Letras, Língua Alemã e Tradução.

Downloads

Publicado

2010-07-06

Como Citar

RIBEIRO, H. J. Thomas Bernhard: pensamento fenecido e sujeito ressucitado. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 363-377, 2010. DOI: 10.5007/2175-7917.2010v15n1p363. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2010v15n1p363. Acesso em: 23 nov. 2020.

Edição

Seção

Dossiê