Il compagno: uma releitura pavesiana no pós-guerra do fascismo

Autores

  • Alexandra Helena Pavan Pavão Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2010v15n2p216

Palavras-chave:

Cesare Pavese, Il Compagno, Fascismo, Pós-guerra italiano

Resumo

O período do pós-guerra na Itália é muito rico nas suas produções e manifestações artísticas. É, exatamente, neste período que o escritor Cesare Pavese, mesmo declarando-se distante da ’política’, publica o seu texto mais ‘político’: Il Compagno. O romance de 1947 traz um protagonista diferente dos demais personagens pavesianos, apesar de manter algumas semelhanças, tais como o ócio e o espaço de Turim. O objetivo deste trabalho é analisar a releitura que Pavese faz de aspectos do fascismo quando o regime não estava mais em vigor. De fato, na península já havia sido realizado o plebiscito de 1946, no qual foi escolhida a República como forma de governo.

Biografia do Autor

Alexandra Helena Pavan Pavão, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduada em Pedagogia (UDESC, 2003) e especialista em Psicopedagogia (IESDE, 2005) e em Metodologia da Educação a Distância (Unisul, 2008). Graduanda em Letras Italiano (UFSC) e Mestranda em Literatura (UFSC).

Downloads

Publicado

2010-11-29

Como Citar

PAVAN PAVÃO, A. H. Il compagno: uma releitura pavesiana no pós-guerra do fascismo. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 216-222, 2010. DOI: 10.5007/2175-7917.2010v15n2p216. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2010v15n2p216. Acesso em: 22 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê