“O desenho é uma pronúncia”: Paula Rego e Agustina Bessa-Luís

Autores

  • Mariana Andrade da Cruz Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2016v21n1p142

Resumo

O objetivo do presente trabalho é fazer uma análise do livro As meninas, no qual a romancista portuguesa Agustina Bessa-Luís fala sobre vida e obra da pintora Paula Rego, também portuguesa. Embora possua contornos biográficos, focalizando especialmente a infância de Rego e o relacionamento que manteve com Victor Willing, o texto trará reflexões variadas sobre a natureza do fazer artístico em si. Cremos que, ao lê-lo, podemos considerá-lo não só como um relato de apreciação crítica da fortuna artística de Rego, mas também como um livro cujo valor reside em si próprio. Ao apresentar a biografia da pintora, Bessa-Luís encontra pontos de contato com sua própria vivência, e usa-os como ponto de partida para tecer inúmeras reflexões de ordem metalinguística, bem como acerca das relações entre texto e tela. Considerando isso, pretendemos mostrar como o livro muitas vezes indicia um diálogo interartes, além de evidenciar pontos de contato entre a escrita de Bessa-Luís e as imagens que permeiam o volume.

Biografia do Autor

Mariana Andrade da Cruz, Universidade Federal Fluminense

Doutoranda em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), como bolsista CNPq. Mestre em Estudos de Literatura, Subárea Literatura Portuguesa e Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, como bolsista CAPES, pela mesma instituição (2012). Dedica-se a estudar, no momento, relações interartes verificáveis na ficção portuguesa contemporânea, especialmente a engendrada por António Lobo Antunes.

Downloads

Publicado

2016-06-30

Como Citar

CRUZ, Mariana Andrade da. “O desenho é uma pronúncia”: Paula Rego e Agustina Bessa-Luís. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 21, n. 1, p. 142–153, 2016. DOI: 10.5007/2175-7917.2016v21n1p142. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2016v21n1p142. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos