Casais felizes e relações duradouras: a representação da existência lésbica na obra "Amora", de Natalia Polesso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2020v25n1p67

Resumo

Este artigo tem a proposta de refletir de que maneira a representação de casais lésbicos na literatura contemporânea pode contribuir para desestabilizar o pensamento heterossexual que se sobressai em nossa sociedade. Serão analisados os contos Vó, a senhora é lésbica, Marília acorda e As tias, da obra Amora, de Natalia Polesso (2015). As três narrativas têm como personagens principais casais formados por duas mulheres, as quais vivem juntas há muitos anos e, por isso, podem ser analisadas como exemplo de relacionamento fora do padrão heteronormativo. Servirão de embasamento teórico ao estudo os textos de Monique Wittig (2017), sobre o pensamento straight, de Adrienne Rich (2010), a respeito da existência lésbica, e de Judith Butler (2016), no que tange à questão do feminismo na contemporaneidade. Embora as autoras não concordem em alguns aspectos dessa temática, todas apontam a necessidade de se discutir e se destacar o papel das mulheres lésbicas não apenas no campo literário, mas no mundo acadêmico e social.

Biografia do Autor

Vanessa Ferreira Vieira, Universidade Federal Fluminense

Possui graduação em Comunicação Social (2010) e especialização em Estudos Literários (2011) pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Concluiu o curso de Licenciatura em Letras, com habilitação em Italiano (2017) e em Francês (2019) na mesma instituição. Atualmente é mestranda em Estudos de Literatura, subárea Literaturas Francófonas, da Universidade Federal Fluminense.

Eurídice Figueiredo, Universidade Federal Fluminense

Possui Graduação em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1968), Maîtrise ès Lettres pela Université de Nice (França, 1972), Mestrado em Língua e Literatura Francesa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979), Doutorado em Letras Neolatinas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988) e Pós-doutorado Sênior pela UFMG (2009). Atualmente é professora associada aposentada da Universidade Federal Fluminense atuando no Programa de Pós-Graduação em Estudos de Literatura.

Referências

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. de Renato Aguiar. 11. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

POLESSO, Natalia Borges. Amora. Porto Alegre: Não Editora, 2015.

RICH, Adrienne. Heterossexualidade compulsória e existência lésbica. Trad. de Carlos Guilherme do Valle. Revista Bagoas, Natal, v. 4, n. 5, p. 17-44, 2010.

WITTIG, Monique. O pensamento straight. In: BRANDÃO, Izabel; CAVALCANTI, Ildney; COSTA, Claudia de Lima; LIMA, Ana Cecília Acioli (Org.). Traduções da Cultura: perspectivas críticas feministas (1970-2010). Maceió/Florianópolis: EDUFAL; Editora da UFSC, 2017. p. 262-274.

Downloads

Publicado

2020-06-15

Como Citar

VIEIRA, Vanessa Ferreira; FIGUEIREDO, Eurídice. Casais felizes e relações duradouras: a representação da existência lésbica na obra "Amora", de Natalia Polesso. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 67–76, 2020. DOI: 10.5007/2175-7917.2020v25n1p67. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2020v25n1p67. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Ficções queer brasileiras"