Os (d)anos da colonização, as identidades pós-coloniais e a busca da guinendade em "A última tragédia de Abdulai Sila"

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2020v25n2p172

Palavras-chave:

Trauma colonial, Nacionalismo, Identidade, Pós-colonialismo

Resumo

O presente estudo versa sobre a narrativa da nação como representação coletiva tematizando a violência e o trauma contra o povo guineense. O texto permite o encontro entre discursos coloniais, preconceitos e efeitos traumáticos sobre a identidade africana, indagando o quanto os projetos e sonhos nacionalistas na Guiné-Bissau foram realmente alcançados e como o passado contribuiu para a instabilidade política e os falhanços econômicos vivenciados na contemporaneidade. Neste sentido, tomamos por corpus de análise a obra ficcional A Última Tragédia de Abdulai Sila (2002), voz de uma sociedade complexa e atual, cujos textos abordam especificamente a tentativa de constituir uma reflexão sobre a identidade nacional e a história dos guineenses em contextos pós-coloniais. A produção artística – aqui particularmente a literatura – surge como parte do processo de consolidação de identidades, por meio de seu caráter de representação. A Última Tragédia de Abdulai Sila (2002) parece buscar num passado ainda vivo e presente, as respostas que justifiquem a origem das adversidades comuns do país na atualidade.

Biografia do Autor

Jonh Jefferson do Nascimento Alves, Universidade Federal de Alagoas

Doutorando em Letras pelo Programa de Pós-graduação em Linguística e Literatura da Universidade Federal de Alagoas – UFAL. Mestre em Letras pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN. Possui especialização em Língua Portuguesa, Linguística e Literatura, pela Faculdade Aldemar Rosado – FAR e graduação em Letras, Língua Portuguesa e respectivas Literaturas pela Universidade Estadual do Maranhão – UEMA.

Referências

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

AUGEL, Moema Parente. A nova literatura da Guiné-Bissau. Bissau: INEP, 1998.

AUGEL, Moema Parente. O desafio do escombro: a literatura guineense e a narração da nação. 2005. 387 f. Tese (Doutorado em Literatura Portuguesa) ‒ Faculdade de Letras, Universidade Federal de Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

AUGEL, Moema Parente. O discurso literário dos anos noventa: revelando os arquivos do silêncio. In: AUGEL, Moema Parente. O desafio do escombro: nação, identidades e póscolonialismo na literatura da Guiné-Bissau. Rio de Janeiro: Garamond, 2009, p. 290-309.

BENJAMIN, Walter. Teses sobre filosofia da história. In: KOTHE, Flávio R. (Org.). Sociologia. São Paulo: Ática, 1985.

BHABHA, Homi. Narration and narration. London: Rouledge, 1990.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Trad. de Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, figuras, cores, números. Trad. de Vera da Costa e Silva. [et al]. 23. ed. Rio de Janeiro: José Olympio 2009.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Trad. de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2010.

SILA, Abdulai. A Última Tragédia. In: SILA, Abdulai. Mistida (Trilogia). Praia: Instituto Camões, 2002, p. 17-169.

WHITE, Hayden. Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. Trad. de Alípio Correia de Franca Neto. São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1994.

VALANDRO, Letícia. A difícil Mistida guineense nação e identidade da Guiné-Bissau através da trilogia de Abdulai Sila. 2011. 133 f. Dissertação (Mestrado em Literaturas Portuguesas e Luso-Africanas) ‒ Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

Downloads

Publicado

2020-10-06

Como Citar

ALVES, J. J. do N. Os (d)anos da colonização, as identidades pós-coloniais e a busca da guinendade em "A última tragédia de Abdulai Sila". Anuário de Literatura, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 172-186, 2020. DOI: 10.5007/2175-7917.2020v25n2p172. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2020v25n2p172. Acesso em: 23 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos