Makunaima: entre fatos e ficções

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2020v25n2p47

Palavras-chave:

Fatos, Ficções, Makunaima

Resumo

O presente artigo tem como objetivo lançar uma discussão voltada para o processo de criação dos fatos e ficções nas narrativas que apresentam Makunaima como personagem. Para tanto, serão analisados relatos escritos de um naturólogo alemão e relatos orais de um documentário. Deste modo, tem-se como corpus para a pesquisa a obra Vom Roroima zum Orinoco (Do Roraima ao Orinoco), especificamente o livro Mitos e lendas dos índios Taulipangue e Arecuná, o qual apresenta a coletânea de narrativas que foram recolhidas durante os anos de 1911 a 1913 na tríplice fronteira – Brasil, Venezuela e Guiana Inglesa –  pelo viajante alemão Theodor Koch-Grünberg; bem como o documentário  Nas trilhas de Makunaima, produzido no ano de 2007, pela TV Cultura, em parceria com a Universidade Federal de Roraima. Esta pesquisa foi bibliográfica e abrangeu o ramo da teoria literária, mais especificamente da teoria da recepção, a qual contribui para os estudos dos conceitos de fatos e ficções; da literatura dos viajantes, em que se encontram os relatos coletados por Koch-Grünberg sobre a figura de Makunaima; e dos relatos orais sobre o personagem indígena presente no documentário. Alguns dos referencias teóricos utilizados foram os livros de teoria da recepção de Wolfgang Iser e os de Karlheinz Stierle. Estes darão os suportes necessários para as discussões teóricas envolvendo facticidade e ficcionalidade.

Biografia do Autor

Mêrivania Rocha Barreto, Universidade Federal do Pará

Doutoranda em Letras - Estudos literários (PPGL/UFPA). Mestra em Linguagens e Saberes na Amazônia-(PPGLSA- UFPA /2014) - Linha de pesquisa leitura e tradução cultural. Graduada em letras-Língua Portuguesa (UFPA/2010). Membro do Grupo de pesquisa Alteridade Literaturas do Insólito e Psicanálise (ALLIP). Tem experiência na área de letras com ênfase em teoria literária e literaturas brasileira e portuguesa. Tem interesse nos estudos acerca da tradução, alteridade, psicanálise, literatura dos viajantes e poética indígena.

Referências

ANDRADE, Mário de. Macunaíma, o herói sem nenhum caráter. Rio de Janeiro: Agir, 2007.

ARMELLADA, Cesáreo. Tauron Panton: cuentos y leyendas de los índios pemóm. Caracas: Ediciones del Ministerio de Educación, 1964.

BUTT-COLSON, Audrey. Intertribal trade in the Guiana highlands. Antropológica, v. 34, p. 5-69, 1973.

CARVALHO, Fábio Almeida de. Makunaima/Makunaíma, antes de Macunaíma. Revista Crioula, n. 05, 2009. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/crioula/article/viewFile/54943/5859. Acesso em 20 jan. 2014.

CASCUDO, Luis da Câmara. Literatura oral no Brasil. 2. ed. São Paulo: Global, 2006.

DIOCESE DE RORAIMA. Onças, antas e raposas: mitos do povo makuxi registrados pelo monge beneditino Dom Alcuíno Meyer O.S.B entre 1926 e 1948. Brasília: Diocese de Roraima, 2011.

ELIADE, Mircea. Mito e Realidade. 6. ed. São Paulo: Perspectiva, 2002.

ELIADE, Mircea. O sagado e o Profano. Trad. de Rogério Fernandes. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

ELIADE, Mircea Aspectos do mito. Lisboa: Edições 70, 1989.

FRANK, Erwin H. Viajar é preciso: Theodor Koch-Grünberg e a Volkerkunde alemã do século XIX. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 48, n. 2, p. 559-584, 2005.

FIGUEROA, Lino. Makunaima en el valle de los kanaimas. Venezuela: Editorial Intenso, 2001.

ISER, Wolfgang. Os atos de fingir ou o que é fictício no texto ficcional. In: LIMA. Luiz Costa (Org.). Teoria da literatura em suas fontes. 2ª ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983, p. 955-985. 2 v.

KOCH-GRÜNBERG, Theodor. Mitos e lendas dos índios Taulipangue e Arekuná.Trad, de Henrique Roenick e revisão de M. Cavalcante Proença. In: MEDEIROS, Sérgio (Org.), Makunaíma e Jurupari, cosmogonias ameríndias. São Paulo: Perspectiva, 2002, p. 59-269.

KOCH-GRÜNBERG, Theodor. Do Roraima ao Orinoco: (Observações de uma viagem pelo norte do Brasil e pela Venezuela durante os anos de 1911 a 1913). Tradução Cristina Alberts-Franco. São Paulo: UNESP, 2006. v. 1.

LAPLANTINE, François; TRINDADE, Liane. O que é imaginário. São Paulo: Brasiliense, 2003.

MONTE RORAIMA. Globo Repórter, Rio de Janeiro: Rede Globo, 22 de março de 2013. Programa de TV.

NAS TRILHAS de Makunaima. Direção de Thiago Bríglia. Produção da Universidade Federal de Roraima. Roraima: 2007. Documentário (52 min.) Disponível em: http://vimeo.com/69919258. Acesso em: 19 de ago. 2013.

PRATT, Mary Louise. Os olhos do império: relatos de viagem e transculturação. Trad. de Jézio Hernani Bonfim Gutierre. São Paulo: EDUSC, 1999.

SÁ, Lúcia. Tricksters e mentirosos que abalaram a literatura nacional: As narrativas de akúli e Mayuluaípu. In: MEDEIROS, Sérgio (Org.). Makunaíma e Jurupari, cosmogonias ameríndias. São Paulo: perspectiva, 2002, p. 245-259.

SÁ, Lúcia. Literaturas da floresta: textos amazônicos e cultura latino-americana. Rio de Janeiro: EdUerj, 2012.

SCHMID, Wolf. Narratology. An Introduction. Berlin/New York: De Gruyter, 2010.

SCHOMBURGK, Richard. Travels in Britisch-Guiana during the years 1840-1844. Trad. de Walter E Roth. Georgetown: Leipzig, 1848, 2 v.

SILVA, José Vitor da. José Vitor da Silva. [Entrevista concedida a] Devair Antônio Fiorotti. In: FIOROTTI, Devair Antônio (Org.). Panton pia’: narrativa oral indígena: registro na terra indígena São Marcos. Boa Vista: UERR edições; Wei 2019. v. 1.

STIERLE, Karlheinz. Que significa a recepção de textos ficcionais. In: LIMA, Luiz Costa. (Org.). A literatura e o leitor: textos de Estética da Recepção. Rio de Janeiro: Paz e terra, 2002, p. 133-187.

STIERLE, Karlheinz. A ficção. Trad. de Luiz Costa Lima. Rio de Janeiro: Caetés/Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ, 2006. v. 1. (Coleção Novos Cadernos do Mestrado)

TAYLOR, Anne-Christine. Dom Quixote na América: Claude Lévi-Strauss e a antropologia americanista. Revista Sociologia & Antropologia, v. 1, n. 2, p, 77-90, 2011. Tradução de Estela Abreu. Disponível em: http://www.revistappgsa.ifcs.ufrj.br/pdfs/ano1v2_artigo_anne-christine-taylor. Acesso em 04 mar. 2014.

VENUTI, Lawrence. A invisibilidade do tradutor. Trad. de Carolina Alfaro. Palavra. Rio de Janeiro, v. 3, p. 111-134, 1995.

ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz: a literatura medieval. Trad. de Amálio Pinheiro e Jerusa Pires Ferreira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

Downloads

Publicado

2020-10-06

Como Citar

BARRETO, M. R. Makunaima: entre fatos e ficções. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 47-64, 2020. DOI: 10.5007/2175-7917.2020v25n2p47. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/2175-7917.2020v25n2p47. Acesso em: 1 dez. 2020.

Edição

Seção

Dossiê "Poéticas da Voz"