A cabeça erguida de Lima Barreto

Autores

  • Keli Cristina Pacheco Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

A condição de exílio abrange uma categoria muito maior que a da experiên-cia migratória, ou seja, é possível sentir-se exilado na própria terra. Esse sentimento de"não-pertencimento", presente em alguns romances de Lima Barreto, parece também estarrepresentado em algumas fotografias do escritor, engendrando uma espécie de desejo dedesterritorialização.

Biografia do Autor

Keli Cristina Pacheco, Universidade Federal de Santa Catarina

Atualmente é pesquisadora bolsista capes de doutorado em literatura na Universidade Federal de Santa Catarina. Possui mestrado em Literatura (2005) e Licenciatura em Letras - Língua Portuguesa (2002) pela mesma universidade. Integrou o Programa Especial de Treinamento - PET - Letras da UFSC, como bolsista, de 2000 a 2003. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira e Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: Lima Barreto; Roberto Arlt; literatura brasileira; teoria da modernidade; comunidade e exílio.

Downloads

Publicado

2003-01-01

Como Citar

PACHECO, K. C. A cabeça erguida de Lima Barreto. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 11, n. 11, p. 83-93, 2003. DOI: 10.5007/%x. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/5222. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Outra imagem