A representação da velhice feminina em narrativas orais da matintaperera

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2021.e78279

Palavras-chave:

Velhice, Feminino, IFNOPAP, Oralidade, Matintaperera

Resumo

De acordo com Maria de Fátima de Souza Santos (1994), o estudo do envelhecimento humano e/ou da velhice no âmbito das Ciências Humanas é recente, principalmente no Brasil onde somente nos últimos anos começam a surgir trabalhos científicos nas áreas de Psicologia, Sociologia, dentre outras. Em nossas investigações nos Repositórios Institucionais on-line das renomadas Universidades encontramos pouquíssimos trabalhos na área de Letras (Literatura), sobretudo nos Cursos de Doutorado que abordam essa etapa da vida humana e isso acaba se tornando algo, extremamente, preocupante, pois nos impede de desenvolvermos nossa função social enquanto literários que é a de humanizar os sujeitos através dos textos literários, como propõe Candido (1972). Desse modo, levando em conta o número reduzido de Teses na área de Letras, bem como o nosso interesse pelo tema, decidimos estudar a senescência, especialmente a feminina, pois além de os censos e os dados estatísticos demonstrarem que existem mais mulheres do que homens na velhice, ocasionando assim o fenômeno da feminização ou a feminilização que é discutido por Menezes (2017) e Salgado (2002), as mulheres na velhice experimentam, segundo Debert (1994), uma situação de dupla discriminação: a de ser mulher e a de ser velha. Contudo, os resultados de nossas pesquisas no acervo “O Imaginário nas Formas Narrativas Orais Populares da Amazônia Paraense” (IFNOPAP) revelaram um novo perfil da mulher velha, que não vem carregado de preconceitos e nem de estereótipos, mas de novidade, liberdade e curiosidade. Sendo assim, o objetivo geral desta pesquisa é compreender como a velhice feminina é representada em narrativas orais da Matintaperera. O referencial teórico deste estudo ampara-se em: Beauvoir (2018), Goldenberg (2017), Debert (1994) e Zimerman (2007).

Biografia do Autor

Andressa de Jesus Araújo Ramos, Universidade Federal do Pará

Doutoranda em Estudos Literários pelo Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguística e Teoria Literária (PPGL) da Universidade Federal do Pará (UFPA-2020), com bolsa da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), vinculada a linha de pesquisa: Literatura, Memórias e Identidades. Tem interesse nos seguintes temas: Literatura Amazônica, Oralidade, Velhice e Alteridade.

Maria do Perpétuo Socorro Galvão Simões, Universidade Federal do Pará

Doutora em Letras (Letras Vernáculas) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras, Belém, PA. Coordenadora do Programa de Estudos Geo-BioCulturais da Amazônia - Campus Flutuante, da Universidade Federal do Pará. Atua nos seguintes temas: Amazônia, Narrativa, Literatura, Oralidade e Cultura.

Referências

ARAÚJO, Ludgleydson Fernandes; CARLOS, Karolyna Pessoa Teixeira. Sexualidade na velhice: um estudo sobre o envelhecimento LGBT. Psicología, Conocimiento y Sociedad, p. 218-237, 2018.

BEAUVOIR, Simone de. A velhice. Trad. de Maria Helena Franco Martins. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2018.

BESSA, Daniela Borja. A Batalha Espiritual e o Erotismo. Revista de Estudos da Religião (REVER), n. 1, p. 39-49, 2006.

CANDIDO, Antonio. A literatura e a formação do homem. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 24, n. 9, p. 803-809, 1972.

CARVALHO, Nazaré Cristina. Caleidoscópio do imaginário ribeirinho amazônico. Revista Instrumento, Juiz de Fora, v. 16, n. 2, p. 221-230, 2014.

CASCUDO, Luís Câmara. Dicionário do Folclore Brasileiro. 12. ed. São Paulo: Global, 2012.

COSTA, Jairo. Amazônia Fantástica. São Paulo: Bamboo Editorial 2013.

DEBERT, Guita Grin. Gênero e Envelhecimento: os Programas para a Terceira Idade e o Movimento dos Aposentados. Revista Estudos Feministas, v. 2, n. 3, p. 33-51, 1994.

DI GIANNI, Victalina Maria Pereira. O idoso – homem – e o seu envelhecer. 2001. 147 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Faculdade de História, Direito e Serviço Social, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2001.

FARES, Josebel Akel. Imagens da mitopoética amazônica: um memorial das matintas pereras. 1997. 180 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Centro de Letras e Artes, Universidade Federal do Pará, Belém, 1997.

FERRAZ, Luciana Marques. A infância e a velhice: percursos em Manuelzão e Miguilim. 2010. Tese (Doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

FREIRE, Mariza Scheffer; SOBRINHO, Vilma Pereira; CONCEIÇÃO, Gilmar Henrique. A figura feminina no contexto da inquisição. Revista Educere et Educare, v. 1, n.1, jan./jun. 2006.

GIDDENS, Anthony. Sociologia do Corpo: Saúde, Doença e Envelhecimento. In: GIDDENS, Anthony. Sociologia. Porto Alegre (RS): Artmed, 2005, p. 128-149.

GOLDENBERG, Mirian. Coroas: corpo, envelhecimento, casamento e infidelidade, 2008.

GOLDENBERG, Mirian. A bela velhice. 7. ed. Rio de Janeiro: Record, 2017.

LARROSA, Jorge. La experiencia de la lectura: estudios sobre literatura y formación. 2. ed. Barcelona: Laertes, 1996.

LIMA, Lilian Almeida de Oliveira. Meninas, jovens e velhas: personagens tecidas na narrativa de Helena Parente Cunha. 2014. 224 f. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

MENEZES, Kelly Maria Gomes. Agora é a minha vez de ir pra escola!: os desafios na educação para mulheres velhas em um Programa de EJA, em Fortaleza – CE. 2017. 232f. – Tese (Doutorado em Educação) –, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza (CE), 2017.

MUCIDA, Ângela. O sujeito não envelhece: psicanálise e velhice. 2. ed. rev. 3. reimp. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

SANTOS, Maria de Fátima de Souza. Velhice: uma questão psico-social. Temas em Psicologia, n. 2, 1994.

SALGADO, Carmen Delia Sánchez. MULHER IDOSA: a feminização da velhice. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, Porto Alegre, v. 4, p. 7-19, 2002.

SILVA JÚNIOR, Fernando Alves da. Representação feminina no mito da matintaperera em Taperaçu Campo, Bragança (PA). 2014. 181f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia, PPGLS, Universidade Federal do Pará, Bragança, 2014.

SIMÕES, Maria do Perpétuo Socorro Galvão Simões. Lendas e Mitos da Amazônia. Revista Litteris Literatura, p. 10-25, 2010.

SIMÕES, Maria do Perpétuo Socorro Galvão Simões; GOLDER, Christophe. Belém conta... Belém: Cejup; Universidade Federal do Pará, 1995a.

SIMÕES, Maria do Perpétuo Socorro Galvão Simões; GOLDER, Christophe. Abaetetuba conta... Belém: Cejup; Universidade Federal do Pará, 1995b.

SOUZA, Laura de Melo e. A feitiçaria na Europa Moderna. 2. ed. São Paulo: Ática, 1995.

PEREIRA, Waldemar Henrique da Costa. Matintaperêra. In: O canto da Amazônia. Rio de Janeiro: LP Funarte, 1982.

VIANA, Geysa Novais. As bruxas no Malleus Maleficarum: caracteres, práticas e poderes demoníacos, 2013. Disponível em: https://www2.unifap.br/marcospaulo/files/2013/05/AS-BRUXAS-NO-MALLEUS-MALEFICARUM.pdf. Acesso em: 12 nov. 2020.

VIEIRA, Bruno César Ferreira. Bruxaria e Feminismo. Uma análise da independência da mulher através dos seriados de TV. In: Seminário Nacional, 12, e Seminário Internacional Mulher e Literatura – Gênero, Identidade e Hibridismo Cultural, 3. Anais eletrônicos... Illhéus/Bahia: Universidade Estadual de Santa Cruz, 2007.

VILLACORTA, Gisela Macambira. “As Mulheres do Pássaro da Noite”: pajelança e feitiçaria na região do salgado (Nordeste do Pará). Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2000.

ZIMERMAN, Guite I. Velhice: aspectos biopsicossociais. Porto Alegre: Artmed, 2007.

Downloads

Publicado

2021-10-26

Como Citar

RAMOS, A. de J. A.; SIMÕES, M. do P. S. G. . A representação da velhice feminina em narrativas orais da matintaperera. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 26, p. 01-18, 2021. DOI: 10.5007/2175-7917.2021.e78279. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/78279. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

Representações da velhice na literatura e outras artes