Dominga ou a arte de lidar com o mistério

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2022.e87231

Palavras-chave:

Conto, Intertextualidade, Fantástico, Mistério, Imaginação

Resumo

Este artigo estuda as especificidades do pouco conhecido conto Dominga no panorama da obra de Agustina Bessa-Luís, em particular as suas ligações às culturas francesa e alemã, raras nos textos da escritora lusitana. Propomos indagar como esta ancoragem além-fronteiras é pedra angular de um universo simultaneamente autobiográfico e fantástico no sentido sartriano, que conduz à reflexão sobre os limites da imaginação humana e às fronteiras entre literatura e realidade. Ao ser lido como uma mise en abîme do ato de contar histórias, analisamos de que forma Dominga se torna uma arte poética de como lidar com o mistério, essencial para a compreensão dos textos de Agustina. De ouvinte a narradora, observamos a visitante de Dominga a confrontar-se com os enigmas de Heidelberg, mas também com o passado da escritora alemã, que testam a sua curiosidade pela verdade e a capacidade de assumir o irremediável. Por fim, realçamos como a solução encontrada – a ausência de esperança – está presente noutros romances da escritora e dialoga com os contos de Antoine Saint-Exupéry.

Biografia do Autor

Maria Beatriz Almeida, Universidade do Porto

A autora é licenciada em Línguas, Literaturas e Culturas (Francês/Alemão) pela Universidade do Porto e foi bolseira do Mestrado Erasmus Mundus em Culturas Literárias Europeias nas Universidades de Haute-Alsace e de Bolonha. Obteve o Diploma Universitário em Estudos Helvéticos com uma dissertação sobre Anne Perrier. É membro colaborador do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde desenvolve pesquisa nas áreas de Inter-/Transculturalidades.

Referências

BESSA-LUÍS, Agustina. 12. Dominga. Podcast. À Boca de Cena, 2021. Porto: Casa Comum da Universidade do Porto, 2021. Disponível em: https://www.up.pt/casacomum/a-boca-de-cena/12-dominga/. Acesso em: 19 abr. 2022.

BESSA-LUÍS, Agustina. Alegria do Mundo I. Lisboa: Guimarães Editores, 1996.

BESSA-LUÍS, Agustina. Antes do Degelo. Lisboa: Guimarães Editores, 2004.

BESSA-LUÍS, Agustina. A Ronda da Noite. Lisboa: Relógio D’Água Editores, 2019.

BESSA-LUÍS, Agustina. Dominga. Trad. de Françoise Debecker-Bardin. Lisboa: Guimarães Editores, 1999.

BESSA-LUÍS, Agustina. Dominga. Trad. de Klaus-D. Lieberwirth. Maia: Cosmorama Edições, 2008.

DUMAS, Catherine. Estética e Personagens nos romances de Agustina Bessa-Luís. Porto: Campo das Letras, 2002.

DUMAS, Catherine. O lugar do conto na obra de Agustina Bessa-Luís. Revista do Centro de Estudos Portugueses, v. 31, n. 46, p. 11-22, 2011.

JUNG, Carl Gustav. The Man and His Symbols. Toronto: Penguin Random House, 1968.

LOPES, Silvina Rodrigues. Agustina Bessa-Luís. As Hipóteses do Romance. Porto: Edições Asa, 1989.

LOURENÇO, Eduardo. Agustina Bessa-Luís ou o neo-romantismo. In: LOURENÇO, Eduardo O Canto do Signo – Existência e Literatura. Lisboa: Editorial Presença, 1993, p. 158-163.

LOURENÇO, Eduardo. Desconcertante Agustina. In: LOURENÇO, Eduardo O Canto do Signo – Existência e Literatura. Lisboa: Editorial Presença, 1993, p. 164-171.

MACHADO, Álvaro Manuel. Agustina e o significado das coisas. Colóquio/Letras, n. 187, p. 42-52, set. 2014.

PRADO COELHO, Eduardo. Agustina: Uma Compaixão sem Amor. In: PRADO COELHO, Eduardo. A noite do mundo. Lisboa: INCM, 1998, p. 161-164.

SAINT-EXUPÉRY, Antoine. Le Petit Prince, Paris: Gallimard, 1999.

SAINT-EXUPÉRY, Antoine. Vol de nuit, Paris: Gallimard, 1931.

SARTRE, Jean-Paul. «Aminabad» ou du fantastique considéré comme un langage. In: SARTRE, Jean-Paul. Situations, I. Paris: Gallimard, 1947, p. 113-132.

TODOROV, Tzvetan. Introduction à la littérature fantastique. Paris: Seuil, 1976.

Downloads

Publicado

2022-12-05

Como Citar

ALMEIDA, Maria Beatriz. Dominga ou a arte de lidar com o mistério. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 27, p. 01–11, 2022. DOI: 10.5007/2175-7917.2022.e87231. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/87231. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Dossiê 100 anos de Agustina Bessa-Luís