O peso do inefável

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7917.2023.e92481

Palavras-chave:

Vazio inefável, Uma menina está perdida no seu século à procura do pai, Literatura portuguesa

Resumo

Pretende-se, a partir de Uma menina está perdida no seu século à procura do pai, de Gonçalo M. Tavares, aprofundar a compreensão sobre a noção de inefável e confirmar, a partir da leitura desse romance, a possibilidade de um dizer sem palavras capaz de expressá-lo. Assumindo que o inefável é um sentido (in)exprimível ao infinito e que fica por dizer (e significar) e por redizer (e ressignificar) de modo interminável (JANKÉLÉVITCH, 2018), não é possível convertê-lo em palavras. Por isso, começa-se por considerar o vazio inefável desse romance tavariano como uma forma decisiva para dar sentido aos sentidos que extrapolam à lógica da palavra escrita. Ao considerá-lo como forma determinante para a justa expressão do inefável, torna-se imprescindível deter-se sobre ele, pois à medida que é interpretado, amplia-se a compreensão do inefável verificado na obra. Para fundamentar essa discussão, faz-se referência aos estudos de Vladmir Jankélévitch (2018), Santiago Kovadloff (2003, 2014), Michele Frederico Sciacca (1967), George Steiner (1988), Gilberto Mendonça Teles (1979), Luzia Aparecida Berloffa Tofalini (2020), entre outros.

Biografia do Autor

Ibrahim Alisson Yamakawa, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Letras Inglês Licenciatura e Bacharelado pela Universidade Estadual de Maringá (2013), mestrado em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (2017), com dissertação intitulada Aprender a Rezar na Era da Técnica: as formas do silêncio e os silêncios das formas, e doutorado em Letras pela Universidade Estadual de Maringá (2022), com tese intitulada Entre vazio(s) e silêncios: o indizível e o inefável em Uma menina está perdida no seu século à procura do pai.

Referências

EIRAS, Pedro. Notas para a Moral do Vento, 2. In: EIRAS, Pedro. Platão no Rolls-Royce: ensaio sobre literatura e técnica. Porto: Edições Afrontamento e Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (FLUP), 2014, p. 101-137.

GONTIJO, Clóvis Salgado. Ressonâncias noturnas: do indizível ao inefável. São Paulo, Edições Loyola, 2017.

GONTIJO, Clóvis Salgado. A imaterialidade do inefável: Traços Imponderáveis da Percepção Auditiva e da Experiência Musical em Vladimir Jankélévitch. Revista Portuguesa de Filosofia, Braga, v. 74, p. 983-1012, 2018. Disponível em: https://www.publicacoesfacfil.pt/product.php?id_product=1158. Acesso em 17 jun. 2022.

KOVADLOFF, Santiago. O silêncio primordial. Trad. de Eric Nepomuceno. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

KOVADLOFF, Santiago. La torre inconclusa. In: KOVADLOFF, Santiago. El enigma del sufrimiento. Buenos Aires: Emecé, 2014. p. 41-64.

JANKÉLÉVITCH, Vladimir. A música e o inefável. Trad. de Clóvis Salgado Gontijo. São Paulo: Perspectiva, 2018.

LE BRETON, David. Antropologia dos sentidos. Trad. de Francisco Morás. Petrópolis: Editora Vozes, 2016.

LESSA, Renato. O silêncio e sua representação. In: NOVAES, Adalto (Org.). O silêncio e a prosa do mundo. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2014, p. 295-312. MATAMORO, Blas. La columna hueca. Cuadernos hispanoamericanos, Madrid, n. 406, p. 134-143, 1984.

NANCY, Jean-Luc. Listening. Trad. de Charlotte Mandell. New York: Fordham University Press, 2007.

PICARD, Max. The world of silence. Trad. de Stanley Godman. Chicago: A Gateway Edition / Henry Regnery Company, 1952.

SCIACCA, Michele Federico. Silêncio e Palavra. Trad. de Flávio Loureiro Chaves e Maria Teresa Pasquini. Porto Alegre: UFRGS, 1967.

STEINER, George. Silêncio e linguagem. Ensaios sobre a crise da palavra. Trad. de Gilda Stuart e Felipe Rajabally. São Paulo: Companhia da Letras, 1988.

TAVARES, Gonçalo M. O senhor Breton e a entrevista. Lisboa: Editorial Caminho, 2008.

TAVARES, Gonçalo M. Atlas do corpo e da imaginação: teoria, fragmentos e imagens. Lisboa: Editorial Caminho, 2013.

TAVARES, Gonçalo M. Uma menina está perdida no século a procura de seu pai. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

TELES, Gilberto Mendonça. Retórica do silêncio I: teoria e prática do texto literário. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1979.

TOFALINI, Luzia A. Berloffa. Silêncios e literatura: construções de sentido em Jerusalém. Maringá: Eduem, 2020.

Downloads

Publicado

2023-04-13

Como Citar

YAMAKAWA, Ibrahim Alisson. O peso do inefável. Anuário de Literatura, [S. l.], v. 28, p. 01–16, 2023. DOI: 10.5007/2175-7917.2023.e92481. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/literatura/article/view/92481. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos