A modernidade dos pós-modernos: sobre a poesia alemã dos anos 90

Autores

  • Helmut Paul Erich Galle USP

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Moderno, Pós-Moderno, Poesia

Resumo

No ano de 1989 Hans Magnus Enzensberger, um dos eminentes poetas vivos de expressão alemã, publicou um ensaio no qual a lírica da época precedente dos anos 70 e 80 foi censurada de maneira sarcástica por ser esteticamente epigonal e tematicamente trivial. Quem hoje em dia folheia as antologias daquele tempo, como o fez Enzensberger, não achará exagerado o juízo dele, diante de exemplos abundantes de crítica social em versos e de auto-reflexão sentimental. Sem dúvida havia também uma poesia que cumpriu rígidos parâmetros formais, seguindo linhas da tradição mais antigas, mas geralmente foi criada por autores que encontraram o seu tom particular nas décadas anteriores, autores como Karl Krolow, Ilse Aichinger, Ernst Jandl, Friederike Mayröcker, Peter Rühmkorff, Volker Braun, Sarah Kirsch, Oskar Pastior ou o próprio Enzensberger. A corrente principal da produção então jovem era não só prosaica, mas até carente de critérios literários. Parece que essa realidade mudou, porque vários indicadores atestam para os anos 90 uma produção lírica que foi elogiada pela crítica profissional e até festejada por um pequeno grupo de aficionados.

Biografia do Autor

Helmut Paul Erich Galle, USP

possui graduação (1985) e doutorado (1988) em Neuere Deutsche Literatur - Freie Universität Berlin. Atualmente é ms-3 (rdidp) professor doutor da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literaturas Estrangeiras Modernas, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura contemporânea alemã, cultura alemã, didática de literatura estrangeira, memória cultural, autobiografia e literatura do holocausto.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2006-05-03