Me arquivo

Raul Antelo

Resumo


O Núcleo de Estudos Literários e Culturais da UFSC abriga um bom número de pesquisadores que tem o arquivo como eixo de suas preocupações. Manifesta-se nesse conceito um dos paradoxos mais produtivos da arte contemporânea. Com efeito, embora muitos de nós tenhamos sido educados em reconhecer as determinações da vida social na literatura, não é segredo para ninguém que a vida já não é mais considerada como um acontecimento natural, mas como um tempo artificialmente produzido. Assim sendo, a vida politiza-se automaticamente, dado que as decisões técnicas e artísticas que modelam o tempo são, igualmente, decisões políticas. Sob estas novas condições bio-políticas — as condições de um tempo de vida formado, artificialmente, através de dispositivos — a arte só pode potencializar esse artifício de maneira explícita. Entretanto, como o tempo, a duração e a própria vida não mais admitem serem mostrados diretamente, a arte contemporânea documenta tais experiências, tornando-se mero arquivo de sensações.


Palavras-chave


Arquivo; NELIC; Literatura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2011v11n16p04

Direitos autorais



Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon