Como-ver: um cinema de palavras na poesia de Manuel Gusmão

Autores

  • Marleide Anchieta de Lima Universidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-784X.2015v15n24p62

Palavras-chave:

Poesia portuguesa contemporânea, Manuel Gusmão, Cinema

Resumo

O artigo se propõe a apresentar uma análise da dinâmica cinematográfica presente na escrita de Manuel Gusmão – poeta e ensaísta literário português –, e de seu trabalho com a sonoridade, com os movimentos, com o jogo de luzes e sombras a co-mover a materialidade verbo-visual dos poemas. Nesse sentido, desenvolvem-se reflexões acerca de uma teorização da imagem e de uma ética do olhar oriundas dos próprios procedimentos imagéticos que se estabelecem no lirismo crítico do referido poeta, no âmbito da poesia portuguesa contemporânea.

Biografia do Autor

Marleide Anchieta de Lima, Universidade Federal Fluminense

Colaboradora do NEPA-UFF (Núcleo de Estudos de Literatura Portuguesa e Africana)

Downloads

Publicado

2015-03-23