A tékhne e os vazios do homem: notas sobre a expressão e a técnica a partir do exercício da arquifilologia de Raúl Antelo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-784X.2018v18n29p205

Palavras-chave:

Técnica, Transdução, Arquifilologia

Resumo

Este ensaio explora as relações entre os modos de ser do homem e a noção grega de tékhne com o objetivo de promover uma reflexão sobre a expressão e a técnica sob a ótica do contemporâneo de Giorgio Agamben. O percurso se inspira no exercício da arquifilologia, que Raúl Antelo nos apresenta como um estudo anacrônico das emergências detectadas na produção cultural através de um jogo persistente de (re)leituras. O conceito de transdução que Gilbert Simondon traz da mecânica quântica nos serve de cenário para estimular encontros, desencontros e reflexões sobre a vida, o homem e os gestos de expressão e exclusão que desenham sua sombra.

Biografia do Autor

Tesla Coutinho Andrade, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Jornalista e Doutoranda em Memória Social na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Bolsista CAPES.

Downloads

Publicado

2018-09-05