Não entender, o canteiro de obras: a pedagogia (im)possível

Luciana di Leone

Resumo


A partir da experiência da sala de aula do professor Raúl Antelo é possível pensar em um dispositivo que, não se constituindo em um método em sentido tradicional, poderia ser pensado com uma pedagogia (im)possível. Colocando no centro desse dispositivo o “não entendimento”, é possível analisar, por um lado, a derrocada da centralidade identitária, paternalista e de herança e propulsor da vertigem, a voracidade e o dispêndio e, por outro, a aparição nessa derrocada das ruínas que permitem o tecido de novas ficções críticas, de redes textuais e de novas genealogias, menos paternais e mais maternas e infantis.

Palavras-chave


Pedagogia; Genealogia; Arquifilologia

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1984-784X.2018v18n29p71

Direitos autorais 2018 Luciana di Leone

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Boletim de Pesquisa NELIC, ISSNe 1984-784X, Florianópolis, SC, Brasil.

 

CC-by-NC icon