El desencanto argentino

Rita Boco, Gisela Bulanikian

Resumo


Neste artigo, examinamos os fatos acontecidos em dezembro de 2001 na Argentina e historicizamos as mudancas e as transformações dos grupos socioeconômicos, centrando nosso interesse em sua polarização. O trabalho de campo deu-se na area da Capital Federal e na Grande Buenos Aires, e foi feito em manifestações e protestos populares no começo de 2002, em dialogo com o material bibliográfico fornecido por meios de comunicação e textos teóricos antropologicos. Saímos dos panelaços (cacerolazos) e dos piquetes e fizemos uma cobertura cronológica retrospectiva da era do Estado do Bem-estar ao presente. Com isso, queremos mostrar o quanto mudou a construção social das identidades simultaneamente ao processo da transição do Estado do Bem-estar ao estado Neoliberal. Em consequência desse processo, apareceu o isolamento do individualismo e da fragmentação social, como referência aos valores da globalização. No cenário da economia globalizada, a vida cotidiana revela uma situação em que prevalecem o desemprego e problemas de saúde causados pela pobreza e alimentação inadequada. Revelamos o processo de crescimento das identidades novas: "caceroleros, piqueteros e vizinhos", como a representação dos grupos de povos excluidos dos direitos sociais.

Palavras-chave


Globalização; Estado Neoliberal; Atores sociais; Redes sociais; Direitos sociais

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2005 Rita Boco, Gisela Bulanikian

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.