Os animais na fraseologia brasileira

Autores

  • Rogério Ferreira Guerra Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2011v45n2p461

Resumo

Os animais são utilizados como referência para desenvolver o comportamento, aspecto físico, personalidade e estados subjetivos de uma pessoa (e. g., mosca: pessoa importuna ou insistente; cacarejar: palrar monotonamente, tagarelar). Foram analisados os substantivos, verbos e frases (clichês, gírias e provérbios) usados pela população brasileira, de acordo com as descrições mencionadas nos dicionários e livros sobre folclore. A maior parte dos animais usados nas comparações teriomórficas pertence à fauna nativa, espécies domésticas ou que vivem próximas ao homem - principalmente mamíferos das ordens Artiodactyla, Carnivora e Perissodactyla. Os animais foram majoritariamente utilizados com propósitos negativos e algumas expressões populares revelam erros curiosos, como "chorar lágrimas como caranguejo"; o significado muda em razão do gênero, desenvolvimento físico e tamanho dos animais usados como referência. Não obstante as precisões e equívocos à respeito dos animais, a linguagem teriomórfica funciona como esquema metafórico, o qual é útil para transmissão de ideias e pensamentos complexos durante uma conversa rotineira.

Biografia do Autor

Rogério Ferreira Guerra, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui Graduação em Psicologia pela Universidade Gama Filho. Mestrado em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo. Doutorado em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo. Atualmente é  professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina.Mais informações no Currículo Lattes.

Downloads

Publicado

2012-07-13

Edição

Seção

Artigos