Cenários prospectivos das organizações de mídia impressa e horizontes para a carreira de jornalista: tensões, responsabilidades e mutações estruturais

Felipe Arruda Mortara, Leonardo Nelmi Trevisan

Resumo


Este artigo tem como objetivo compreender, por meio da teoria de cenários, quais podem ser as atribuições e responsabilidades que farão parte do cotidiano de trabalho de um profissional do jornalismo impresso no Brasil e em quais contextos de estrutura organizacional e demanda por conteúdo possivelmente exercerá sua atividade dentro de cinco anos. Com base nas principais teorias de carreira e suas alternativas, construiu-se ensaio teórico sobre as prospecções das tensões que marcam a relação entre jornalistas e empresas de mídia. A compreensão do histórico destas relações, bem como o das relações de consumo como cultura social, somada a um entendimento do contexto em que vivemos, reunirá elementos e hipóteses que sinalizem por quais caminhos seguem demanda e oferta de informação. Paralelamente, apresenta um panorama das transformações na carreira do jornalista. A partir destes indicativos, foram construídos possíveis cenários de tarefas e ambientes em que os profissionais do jornalismo atuarão.


Palavras-chave


jornalismo; carreira; mercado; trabalho; comunicação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2178-4582.2014v48n1p124

Direitos autorais 2014 Felipe Arruda Mortara, Leonardo Nelmi Trevisan

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.