Entre o técnico, o político e o social: impasses e poderes de uma política habitacional - PAC Barnabé

Autores

  • Débora Allebrandt Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Tânia Moreira Felix EMATER

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2016v50n1p188

Palavras-chave:

políticas públicas, políticas habitacionais, direitos, etnografia

Resumo

Inúmeros são os desafios ligados a aplicação prática do que fora aprendido em salas de aula por muitos profissionais. Cada vez mais, sociólogos e antropólogos deixam o privilegiado espaço de reflexão e crítica das universidades para adentrarem um terreno minado de poderes: o das políticas públicas. A partir da experiência vivida pelas autoras como consultora e coordenadora da equipe de trabalho social do Projeto de Revitalização do Arroio Barnabé (PAC Barnabé) buscamos dar ênfase a alguns aspectos ligados diretamente à esse “novo” encontro. Esse projeto foi financiado pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal. Nesse artigo, situamos nossa experiência na execução do PAC Barnabé em referência à três tensões: o tempo e a política interna às politicas públicas e o fazer antropológico. Embora, na nossa experiência no do PAC Barnabé esses aspectos estivessem interligados, acreditamos que mesmo isoladamente eles façam parte da prática de antropólogos e cientistas sociais inseridos no campo das políticas públicas. Nosso objetivo é problematizar o lugar para o qual que os antropólogos são chamados a ocupar enquanto executores de políticas públicas.

Biografia do Autor

Débora Allebrandt, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Departamento de Antropologia

UFRGS

Bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado - CAPES

Tânia Moreira Felix, EMATER

Graduada em Ciências Sociais pela UFRGS

Referências

ACHUTTI, Luiz Eduardo Robinson. Fotoetnografia Um estudo de Antropologia visual sobre cotidiano, lixo e trabalho. Porto Alegre: Tomo Editorial, 1997. p. 208.

BONETTI, Aline. Novas Configurações: direitos humanos das mulheres, feminismo e participação política entre mulheres de grupos populares porto-alegrenses. In: LIMA, Roberto Kant De (Org.). . Antropologia e Direitos Humanos. Prêmio ABA/Fundação FORD. Niteroi: Editora da UFF, 2001. p. 137–201.

BOURDIEU, Pierre. O Poder Simbólico From Duplicate 1 ( O Poder Simbólico - Bourdieu, Pierre ) . Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. p. 314. 972-29-0014-5.

CERTEAU, Michel De. The practice of everyday life. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, 1984. p. 229.

CLASTRES, Pierre. A SOCIEDADE CONTRA 0 ESTADO. [S.l: s.n.], 1979.

DAMATTA, Roberto. A casa e a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. 6. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 2000. p. 163.

DAMATTA, Roberto. Carnavais malandros e herois Para uma sociologia do dilema brasileiro . [S.l: s.n.]. , 1997

ECKERT, Cornélia. Questões em torno do uso de relatos e narrativas biográficas na experiência etnográfica. Revista Humanas v. 1/2, n. 19, p. 21–44 , 1997.

ELIAS, Norbert. Os estabelecidos e os outsiders: sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. [S.l.]: Zahar; 1 edition, 2012. Disponível em: <http://www.amazon.com/estabelecidos-outsiders-sociologia-comunidade-Portuguese-ebook/dp/B008O758Y4/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1406208617&sr=8-1&keywords=os+estabelecidos+e+os+outsiders>. Acesso em: 24 jul. 2014.

FALK-MOORE, Sally. Law as process: an anthropological approach. London: Routledge, 1978. p. 270.

FLEISCHER, Soraya Resende. Hematomas, terçados e riscos. Teoria & Pesquisa v. 19, n. 1, p. 91–110 , 2010. Disponível em: <http://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/article/viewFile/209/161>.

FLEISCHER, Soraya Resende; BONETTI, Alinne. Etnografia Arriscada: Dos limites entre vicissitudes e “riscos” no fazer etnográfico contemporâneo. Teoria & Pesquisa v. 19, n. 1, p. 7–17 , 2007. Disponível em: <http://www.teoriaepesquisa.ufscar.br/index.php/tp/issue/view/67/showToc>.

FONSECA, Claudia. Famí¬lia, Fofoca e Honra. Etnografia de relações de gênero e violência em grupos populares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004. p. -–.

FOUCAULT, Michel. Governmentality. In: G. BURCHELL, C. GORDON, And P. Miller (Org.). . In The Foucault Effect: Studies in Governmentality. Chicago: Chicago University Press, 1991. p. 87–104.

GEERTZ, Clifford. Savoir local, savoir global : les lieux du savoir 0768-0503 Clifford Geertz ; traduit de l’anglais par Denise Paulme. Traduction de : Local knowledge. Paris: Presses universitaires de France, 1986. p. 293.

GUPTA, Akhil; FERGUSON, James. Spatialising states: towards an ethnography of neoliberal governmentality. American Ethnologist v. 29, n. 4, p. 981–1002 , 2002.

KNAUTH, Daniela. Da Rua para a Casa ou do Politicamente Correto ao Tecnicamente eficaz: A prevenção da AIDS em mulheres. 1998, [S.l: s.n.], 1998. p.1–10.

LI, Tanja Murray. Beyond “the State” and Failed Schemes. American Anthropologist v. 107, n. 3, p. 383–394 , 2005. Disponível em: <http://doi.wiley.com/10.1525/aa.2005.107.3.383>.1548-1433.

PAIM, Heloísa Helena Salvatti. O papel do antropólogo junto a instituições de intervenção: civilizar civilizadores? 2000, Brasília: [s.n.], 2000. p.1–10.

PAIM, Heloísa Helena Salvatti. Técnicos e usuários em programas de assistência social: encontros e desencontros. Antropolítica v. 2, n. 21, p. 127–150 , 2006.

RIBEIRO, Gustavo Lins. Cultura, Direitos Humanos e Poder. Mais além do império e dos humanos direitos. Por um universalismo heteroglóssico. In: FONSECA, Claudia; TERTO JR, Veriano; ALVES, Caleb Faria (Orgs.). . Antropologia, diversidade e direitos humanos. Dialogos interdisciplinares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004. p. -–.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Vers un nouveau sens commun juridique : droit, science et politique dans la transition paradigmatique Boaventura de Sousa Santos ; traduction de Nathalie Gonzales Lajoie. En tÃate du titre: Maison des sciences de l’homme. Traduction de: Toward a new common sense : law, science, and politics in the paradigmatic transition. Paris: LGDJ, 2004. p. xiii, 703–.

SCHUCH, Patrice. Práticas de justiça: Antropologia dos modos de governo da infância e juventude no contexto pós-ECA. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. p. 293.

SCOTT, James C. Domination and the arts of resistance: hidden trasncripts. New Haven ; London: Yale University Press, 1990. p. 251.

SILVA, Roberto Antonio Capiotti Da; ECKERT, Cornelia. EXPERIÊNCIA DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA JUNTO AOS MORADORES DA VILA BATISTA FLORES EM PORTO ALEGRE ( RS ). iluminuras , 2002.

VIANNA, Adriana. O mal que se adivinha: polícia e menoridade no Rio de Janeiro, 1910-1920. Disponível em: <http://laced.etc.br/site/acervo/livros/o-mal-que-se-adivinha/>. Acesso em: 2 fev. 2015.

VON SCHNITZLER, Antina. Traveling technologies: Infrastructure, ethical regimes, and the materiality of politics in South Africa. Cultural Anthropology v. 28, n. 4, p. 670–693 , 2013.

Downloads

Publicado

2016-07-31

Edição

Seção

Artigos