Monopólio revisado: a violência nos conflitos contra o Estado

Autores

  • Marcelo Borel Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP/UERJ), Rio de Janeiro/RJ, Brasil
  • Fernando Vieira de Freitas Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2017v51n2p500

Palavras-chave:

Não violência, violência política, pacifismo, teoria anarquista

Resumo

O livro escrito por Peter Gelderloos em 2007 e publicado no Brasil pela editora Deriva em 2011, tem como principal objetivo discutir as deficiências políticas e a insustentabilidade prática do projeto da não violência como instrumento de ação política. Essa empreitada se estende ao longo de seis capítulos nos quais o autor discute os motivos pelos quais a não violência é um método ineficaz, racista, estatista, patriarcal, estrategicamente inferior, e ilusório. Os pontos levantados e discutidos por Peter Gelderloos ao longo do livro podem ser condensados em dois grandes eixos argumentativos: um que trata a violência como um instrumento monopolizado pelo Estado e pelo homem branco; e outro que declara que ações não violentas não geram frutos capazes de alterar significativamente dinâmicas sociais.

Biografia do Autor

Marcelo Borel, Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP/UERJ), Rio de Janeiro/RJ, Brasil

Graduado em Ciências Sociais pela UFMG. Mestre em Ciência Política pela Unicamp. Atualmente é doutorando em Ciência Política no IESP/UERJ.

Fernando Vieira de Freitas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro/RJ, Brasil

Graduado em Ciências Sociais pela UFMG. Mestre em Planejamento Urbano e Regional pelo IPPUR/UFRJ. Atualmente é doutorando em Antropologia Social no Museu Nacional/UFRJ.

Referências

GELDERLOOS, P. Como a Não Violência protege o Estado. 1a. ed. Porto Alegre: Editora Deriva, 2011. Disponível online em: <https://kataklysma.noblogs.org/files/2016/02/Como-a-N%C3%A3o-Viol%C3%Aancia-Protege-o-Estado-Peter-Gelderloos.pdf>. Acessado em: 20/10/2016

Downloads

Publicado

2017-12-22

Edição

Seção

Resenhas