A otimização do passado e a idealização da mudança social em Gilberto Freyre

Autores

  • Maria José de Rezende Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Mudança, Psicossociocultural, Democracia, Cultura, Identidade, Organização social.

Resumo

Relacionar a concepção de mudança social de Gilberto Freyre nas décadas de 70 e 80 com aquela desenvolvida em algumas de suas obras clássicas da década de 30 e 40 é o objetivo principal deste artigo. Demonstrar-se-á em que sentido persiste a construção de um ideário conservador acerca de nossas (im)- possibilidades de modificações sociais. Isto revelará como este intérprete do Brasil prossegue concebendo o Brasil como um pais livre de qualquer ação conflituosa intransponível.

Biografia do Autor

Maria José de Rezende, Universidade Estadual de Londrina

Possui graduação em pela Universidade Estadual de Londrina (1985), mestrado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1991) e doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (1996). Atualmente é professor associado da Universidade Estadual de Londrina. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: democracia, desigualdade, estado, mudança social e governo. Certificado pelo autor em 19/03/12

Downloads

Publicado

2001-01-01

Edição

Seção

Artigos