Notas etnográficas sobre prostituição masculina em Florianópolis: entre o trabalho, o afeto e a sexualidade

Letícia C. Barreto, Cibele D. da Silveira, Miriam P. Grossi

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/2178-4582.2012v46n2p511

Objetivamos compreender como se articulam trabalho, afeto e sexualidade na vida de homens que se prostituem na região central de Florianópolis/SC, utilizando métodos como observação, conversas informais, entrevistas semi-estruturadas e registro em diários de campo. Observamos que existem limites simbólicos entre as categorias,mas esses são reconstruídos e ressignificado sem função da relação estabelecida com clientes, parceiros, parentes e com a prostituição. O trabalho pode ser ocultado de familiares, mas usufruem dos seus rendimentose estão presentes nos espaços, nas entrevistas ou em tatuagens. Relações com clientes podem ser carinhosas, afetuosas e prazerosas enquanto as com parceiros se tornarem mais mecânicas e performáticas. O aprendizado de técnicas no trabalho agrega prazer às relações com parceiros e o carinho pelo cliente pode assegurar a satisfação da clientela. Noções tradicionais sobre relacionamentos afetivos e sexuais são simultaneamente reiteradas, como na dicotomia afetividade/passividade, e questionadas, como em concepções reinventadas sobre a traição.


Palavras-chave


Prostituição; Etnografia urbana; Afeto; Sexualidade; Florianópolis

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/2178-4582.2012v46n2p511

Direitos autorais 2013 Letícia C. Barreto, Cibele D. da Silveira, Miriam P. Grossi

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.