O teatro luso-brasileiro Oitocentista: entre a representação teatral e os processos de sociabilidade

Diogo da Silva Roiz

Resumo


Apresenta-se neste texto estudo da obra de Norbert Elias, indagando-se sobre a propriedade do uso das categorias “processo civilizador” e “configuração social” para interpretar o teatro luso-brasileiro Oitocentista. Para exemplificar a proposta tomou-se como base a peça: Elysa, e Luso, ou o templo de Venus, oferecido a sua magestade o senhor D. João VI, rei constitucional do Reino-Unido de Portugal, Brazil, e Algarves (de 1820).


Palavras-chave


processo civilizador; configuração social; teatro; século XIX

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2178-4582.2016v50n1p40

Direitos autorais 2016 Diogo da Silva Roiz

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

R. Ci. Hum. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2178-4582

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons

 

.