Uma introdução ao Empirismo Alternativo de David Hume

Autores

  • Daniel Soares Mano Gonçalves INCT/PPED/UFRJ

DOI:

https://doi.org/10.5007/2178-4582.2020.e56185

Palavras-chave:

Empirismo, Iluminismo escocês, David Hume

Resumo

Neste artigo, sustento que o conjunto da obra de David Hume pode ser compreendido como expressão de uma reelaboração singular e original, a seu tempo, da tradição empirista que encontrou em John Locke seu principal artífice. Procuro identificar as particularidades e analisar os desdobramentos dessa concepção alternativa do empirismo naqueles que considero os três aspectos fundamentais do pensamento humeano: o entendimento, as paixões e a moral. Pretendo, ainda, com esta investigação, salientar o papel do empirismo humeano como um dos eixos integradores de seu projeto de construir uma ciência da natureza humana, desde a etapa orientada à cognição individual (o entendimento) àquelas cujo enfoque recai sobre a sociabilidade (paixões e moral).

Biografia do Autor

Daniel Soares Mano Gonçalves, INCT/PPED/UFRJ

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Bacharelado e Licenciatura). Mestre e Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal Fluminense. Possui experiência em docência nos níveis básico (Faetec e British School, entre outros) e superior (UFF - Sociologia) e em pesquisa social (IBGE), além integrar, na condição de pesquisador, o Laboratório de Estudos Hum(e)anos e o Centro de Estudos sobre Desigualdade e Desenvolvimento, ambos da Universidade Federal Fluminense, Atualmente, realiza estágio pós-doutoral no INCT/PPED, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ARRUDA, Hugo. O Experimento [de] Hume: algumas palavras sobre a maneira como David Hume apresentou a distinção entre sentir e pensar em seu Tratado da Natureza Humana. 160 f . Dissertação (Mestrado em Ciência Política) – Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, Universidade Federal Fluminense, Niterói. 2014.

BERLIN, Isaiah. The Roots of Romanticism. New Jersey: Princeton University Press, 1999.

CACHEL, Andrea. Beleza e Moralidade em Shaftesbury e Hutcheson. Revista Ética e Filosofia Política, Juiz de Fora, v.I, n.XVII, ago. 2014. Disponível em http://www.ufjf.br/eticaefilosofia/files/2009/08/17_1_cachel.pdf. Acesso em 20/12/2017.

CERQUEIRA, Hugo. Adam Smith e seu contexto: o iluminismo escocês. Economia e Sociedade, Campinas, v. 15, n. 1, jan./jun. 2006 . Disponível em https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8642918/10489. Acesso em 23/12/2017.

CERQUEIRA, Hugo. Sobre a filosofia moral de Adam Smith. Síntese – Revista de Filosofia, Belo Horizonte, v. 35, n. 111. 2008. Disponível em http://www.faje.edu.br/periodicos/index.php/Sintese/article/view/158/279. Acesso em 23/12/2017.

CASSIRER, Ernst. La Filosofia de la Ilustración. Pánuco: Fondo de Cultura Economica, 1942.

DESCARTES, Rene. Meditações Metafísicas. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

DEWEY, John. The Quest for Certainty: A study of the relation of knowledge and action. New York: Minton, Balch & Co, 1929.

GUIMARÃES, Lívia. Simpatia, moral e conhecimento na filosofia de Hume. Doispontos, Curitiba, v. 4, n. 2, out. 2007. Disponível em http://revistas.ufpr.br/doispontos/article/view/8185/8131. Acesso em 24/12/2017.

HUME, David. Tratado da Natureza Humana. São Paulo: Unesp, 2000.

HUME, David. Investigações sobre o entendimento humano e sobre os princípios da moral. São Paulo: Unesp, 2003.

HUME, David. Ensaios Morais, Políticos e Literários. Rio de Janeiro: Topbooks, 2004a.

HUME, David. História natural da religião. São Paulo: Unesp, 2004b.

KIRALY, Cesar. Os Limites da Representação: um ensaio desde a filosofia de David Hume. São Paulo: Giz Editorial, 2010.

LESSA, Renato. A condição hum(e)ana e os seus Ensaios. In: Hume, David. Ensaios Morais, Políticos e Literários. Rio de Janeiro, Topbooks, 2004, p. 11-46.

LOCKE, John. Ensayo Sobre el Entendimento Humano. Mexico: Fondo de Cultura Econômica, 1956.

MONTEIRO, João Paulo. Hume e a Epistemologia. São Paulo: Unesp, 2009.

POPPER, Karl. Objective Knowledge: An Evolutionary Approach. Oxford: Clarendon Press, 1972.

REID, Thomas. Essays on the Intellectual Powers of Man. University Park: Pennsylvania State University Press, 2002.

SARTRE, Jean-Paul. A Imaginação. Porto Alegre: L&PM, 2008.

THOMPSON, Edward. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas: Ed. Unicamp, 2001.

ZAHREDDINE, Stephanie. Hume e o problema da justificação da resistência ao governo. In: CONTE, Jaimir; FERRAZ, Marília; ZIMMERMANN, Flávio (Orgs.) Ensaios sobre a filosofia de Hume. Florianópolis: NEL/UFSC, 2016, p. 39-60.

Downloads

Publicado

2021-08-12

Edição

Seção

Artigos