Caracterização da vegetação do Parque Nacional Serra de Itabaiana, Sergipe – Brasil

Túlio Vinicius Paes Dantas, Adauto de Souza Ribeiro

Resumo


Este estudo objetivou mapear e caracterizar as fitofisionomias do Parque Nacional Serra de Itabaiana, com ênfase nas espécies vegetais mais abundantes, avaliando estratégias para sua conservação. Observou-se a predominância de formações abertas naturais de vegetação de campos graminosos, caracterizadas como campos rupestres, (3.289ha), principalmente em áreas de encostas. As formações florestais, caracterizadas como ecótonos entre Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas e Floresta Estacional Semidecídua Sub-montana vêm em seguida (2.643ha), em sua maioria como Matas secundárias. O habitat denominado de Areias Brancas (347ha), anteriormente caracterizadas como restinga, somente ocorre na face leste das Serras de Itabaiana e Comprida e são um tipo de fisionomia associada aos campos rupestres. As áreas antropizadas se concentram nas bordas do Parque, estradas e trilhas mais usadas pela população. Destas áreas, as regiões com solos expostos são as mais abundantes, ocorrendo num total de 699ha; as capoeiras (586ha) são mais frequentes nas bordas das matas, oriundas de incêndios provocados pelo cultivo de cana; e as plantações e retiradas de solo (131ha) nas áreas próximas aos povoamentos.


Palavras-chave


Agreste; Áreas protegidas; Areias brancas; Descrição

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p9

Direitos autorais 2010 Túlio Vinicius Paes Dantas, Adauto de Souza Ribeiro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.