Diagnóstico da vegetação e do uso da duna frontal durante a pesca da tainha (Mugil brasiliensis), Praia do Pântano do Sul, Florianópolis, Santa Catarina

Tânia Tarabini Castellani, Benedito Cortês Lopes, Janice Rezende Vieira Peixoto, Lúcia Helena Gütschow Bento, Péricles da Silva Godinho, Luziana Souza Silva

Resumo


Na Ilha de Santa Catarina, a pesca da tainha ocorre em maio e junho, usando-se a duna frontal para a visualização dos cardumes. Este estudo avaliou as características das áreas de duna frontal utilizadas e as alterações ocorridas em trechos usados ou não pelos pescadores nos postos de vigia na Praia do Pântano do Sul. Acompanharam-se as vigias do “Cabrito” e das “Areias” e duas áreas controle. Em cada área, na duna frontal, seis transecções permanentes foram marcadas para avaliar a vegetação, trilhas e lixo, antes e depois da pesca. As áreas apresentaram cobertura vegetal em torno de 80% e 69 espécies de plantas vasculares, sendo uma delas exótica. Das 15 visitas de acompanhamento da pesca, em 14 havia pescadores apenas na vigia das Areias, que é a mais alta e com melhor visualização dos cardumes. A vigia do Cabrito não foi utilizada para visualização neste ano, mas a trilha próxima a esta foi usada pelos moradores como acesso à praia. Nesta vigia, as alterações
antrópicas observadas decorreram do aumento de trilhas (1,7%) e do aumento da deposição de lixo (3,7%), principalmente entulhos domésticos. Na vigia das Areias, efetivamente usada na pesca da tainha, tanto o aumento de trilhas (0,7%) como o de lixo (0,2%) foram pequenos, sugerindo impactos menores, pelo menos neste ano, em comparação com aqueles observados na antiga vigia do Cabrito.

Palavras-chave


Vegetação costeira; Duna frontal; Pesca da tainha; Monitoramento ambiental; Restinga

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2007 Tânia Tarabini Castellani, Benedito Cortês Lopes, Janice Rezende Vieira Peixoto, Lúcia Helena Gütschow Bento, Péricles da Silva Godinho, Luziana Souza Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.