Análise morfológica e variações fenotípicas observadas na glândula ácida em operárias de Apis mellifera L. (1758) africanizadas (HYM.: Apidae) na região de Dourados – Mato Grosso do Sul, Brasil

Valeska Marques Arruda, Valter Vieira Alves Júnior Valter Vieira Alves Júnior Valter Vieira Alves Júnior, Mônica Maria Bueno de Moraes

Resumo


Em Apis mellifera a glândula ácida pode apresentar bifurcação apical. É composta por células secretoras que circundam um canal que desemboca num reservatório sem musculatura. Procurou-se avaliar a morfologia da glândula em operárias de colônias geneticamente distintas, quanto à presença e tamanho da ramificação; comprimento do ducto principal; comprimento do reservatório até a ramificação e o comprimento total glandular. Observou-se que a presença da ramificação variou de 30% a 76% com X = 59 ± 11,5% e seu comprimento de 0,13mm ± 0,24mm a 1,03mm ± 1,54mm e X = 0,53 ± 0,27mm; a variação do tamanho do ducto principal foi de 5,97mm ± 1,61mm a 20,95mm ± 6,66mm e X = 12,3 ± 5,7mm; e do reservatório até a ramificação de 5,52mm ± 1,84mm a 19,53mm ± 6,42mm com X = 11,42 ± 5,31mm, e o comprimento glandular total ficou entre 6,22mm ± 1,60mm e 21,98mm ± 7,40mm e X = 12,86 ± 5,88mm. Evidenciou-se grande variabilidade fenotípica. As amostras apresentaram ramificação em pelo menos 30% dos indivíduos, sendo essa característica, considerada de primitividade. Entretanto, glândulas sem ramificação sugerem evolução nesse sentido para esse caráter nas abelhas da região. Quanto às características genéticas da glândula, 31% das colônias apresentam operárias com glândulas de veneno pequenas: genótipo homozigoto recessivo gm1gm1 e gm2gm2; em 69% as operárias apresentaram glândulas grandes em heterozigose Gm2gm1 e homozigose dominante Gm1Gm1, Gm2Gm2. Esses resultados indicam concentração de abelhas com glândula ácida grande na região, favorecendo um processo de seleção para a produção de veneno.

Palavras-chave


Glândula ácida; Abelhas; Apis mellifera

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2005 Valeska Marques Arruda, Valter Vieira Alves Júnior Valter Vieira Alves Júnior Valter Vieira Alves Júnior, Mônica Maria Bueno de Moraes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.