Indução de florescimento precoce em angiospermas arbóreas: perspectiva de uso da técnica em espécies da Mata Atlântica

Nátia Élen Auras

Resumo


A prolongada duração da fase juvenil dificulta a obtenção de sementes para a propagação em diversas angiospermas lenhosas da Mata Atlântica, prejudicando o combate à perda de biodiversidade nesse ecosistema. Este artigo de revisão relata que pesquisas recentes foram bem sucedidas na indução de florescimento precoce e no incremento da produção de sementes, em eucalipto, indicando que haveria a possibilidade de que resultados semelhantes também pudessem vir a ser obtidos em outras angiospermas lenhosas florestais. Seria recomendável testar, assim, a eficiência do método em angiospermas arbóreas da Mata Atlântica.

Palavras-chave


Introdução do florescimento precoce; Paclobutrazol; Giberelinas; Angiospermas lenhosas; Preservação da biodiversidade da Mata Atlântica

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

Direitos autorais 2001 Nátia Élen Auras

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.