Crescimento de microalgas em sistema autotrófico estacionário

Silvana Ohse, Roberto Bianchini Derner, Renata Ávila Ozório, Maurício Villela da Costa Braga, Paulo Cunha, Claudia Pavan Lamarca, Márcia Estevão dos Santos

Resumo


Com o objetivo de avaliar o crescimento de diferentes microalgas, testou-se nove espécies marinhas (Nannochloropsis oculata, Thalassiosira pseudonana, Phaeodactylum tricornutum, Isochrysis galbana, Tetraselmis suecica, Tetraselmis chuii, Chaetoceros muelleri,  Thalassiosira fluviatilis e Isochrysis sp.) e uma de água doce (Chlorella vulgaris), em cul- tivo autotrófico estacionário, utilizando-se recipientes contendo 800mL de meio de cultura, iluminação constante fornecendo densidade de fluxo de  fótons nos cultivos em torno de 150μmol m-2.s-1  temperatura de 25± 2oC e aeração constante. O experimento foi conduzido em sala de cul-tivo sob delineamento em blocos casualizados no tempo com três repetições. A espécie Nannochloropsis oculata foi a que apresentou maior valor de densidade celular máxima, porém num período maior de tempo e com uma velocidade de crescimento menor que as demais espécies estudadas. Isto ocorreu, provavelmente, devido ao seu tamanho diminuto das células, necessitando de um número maior de células/mL para que se inicie a competição por luz, nutrientes e espaço. Já a espécie Thalassiosira fluviatilis, apesar de ter apresentado um dos menores valores de densidade celular máxima, esta alcançou o pico em menor tempo e com velocidade de crescimento maior. A única espécie de água doce (Chlorella vulgaris) apresentou baixo desempenho para todas as variáveis analisadas.


Palavras-chave


Microalgas; Cultivo; Crescimento autotrófico

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n2p7

Direitos autorais 2008 Silvana Ohse, Roberto Bianchini Derner, Renata Ávila Ozório, Maurício Villela da Costa Braga, Paulo Cunha, Claudia Pavan Lamarca, Márcia Estevão dos Santos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.