Morfometria do intestino delgado de frangos tratados com dietas adicionadas de mananoligossacarídeo e complexo enzimático

Maria Cristina de Oliveira, Rafael Henrique Marques, Rodrigo Antônio Gravena, Vera Maria Barbosa de Moraes

Resumo


Estudou-se o efeito do mananoligossacarídeo (MOS) e de complexo enzimático (CE) sobre a morfometria do intestino delgado de frangos. Foram utilizadas 750 aves em delineamento inteiramente casualizado  arranjo fatorial 2x2+1–dois níveis de MOS (0 e 0,1% de 1 a 21 dias e 0,05% de 22 a 42 dias de idade), dois níveis de CE (0 e 0,05%) e a dieta controle positivo com antibióticos–totalizando cinco tratamentos e cinco repetições. A interação antibiótico x fatorial foi significativa para espessura da muscular longitudinal e para superfície de absorção no duodeno e no íleo, sendo maior nas aves do tratamento com MOS. A  interação MOS x CE foi significativa para mucosa do duodeno aos 21 dias e jejuno e íleo aos 42 dias, sendo menos espessa nas aves do tratamento sem aditivos. O mesmo efeito foi observado para superfície de absorção duodenal aos 21 dias e no íleo aos 42 dias. A inclusão de MOS nas dietas aumentou (P<0,05), e de enzimas diminuiu (P<0,02), a espessura da camada muscular longitudinal do duodeno aos 42 dias. A adição de MOS às dietas aumentou as espessuras da muscular longitudinal e da mucosa, o que se refl etiu em maior superfície de absorção intestinal.


Palavras-chave


Aditivos; Celulase; Nutrição animal; Prebiótico; Protease

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n3p135

Direitos autorais 2008 Maria Cristina de Oliveira, Rafael Henrique Marques, Rodrigo Antônio Gravena, Vera Maria Barbosa de Moraes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.