Tolerância ao dano pelo frio e qualidade pós-colheita em goiabas ‘Pedro Sato’ submetidas ao condicionamento térmico

Cristiano André Steffens, Cassandro Vidal Talamini do Amarante, João Paulo Generoso da Silveira, Ricardo Chechi, Bruno Pansera Espindola

Resumo


O objetivo deste trabalho foi de avaliar o efeito do condicionamento térmico na tolerância ao frio e na qualidade de goiabas ‘Pedro Sato’ armazenadas a 2ºC. Os tratamentos avaliados foram: 30 dias a 10ºC (controle); 30 dias a 2ºC; um dia a 45ºC + 29 dias a 2ºC; dois dias a 45ºC + 28 dias a 2ºC; e dois dias a 35ºC + 28 dias a 2ºC. Após 30 dias de armazenamento mais três dias de exposição dos frutos a 20ºC, a firmeza de polpa e a acidez titulável foram maiores nos tratamentos com condicionamento térmico. A incidência de podridões foi maior nos frutos armazenados durante 30 dias a 10ºC e naqueles colocados por dois dias a 35ºC + 28 dias a 2ºC. A perda de massa fresca foi maior nos frutos expostos durante dois dias a 45ºC + 28 dias a 2ºC. Frutos armazenados por 30 dias a 2ºC e aqueles expostos a 45ºC, antes do armazenamento a 2ºC, não apresentaram alterações substanciais na cor da epiderme durante o armazenamento e no período de exposição dos frutos a 20ºC, caracterizando o dano pelo frio.


Palavras-chave


Psidium guajava L.; Desordem fisiológica; Amadurecimento; Qualidade pós-colheita

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7925.2008v21n3p75

Direitos autorais 2008 Cristiano André Steffens, Cassandro Vidal Talamini do Amarante, João Paulo Generoso da Silveira, Ricardo Chechi, Bruno Pansera Espindola

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Biotemas. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil, eISSN 2175-7925

Licença Creative Commons
Este periódico está licenciado conforme Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.