Efeito do balanço eletrolítico da ração sobre parâmetros ósseos e da cama de frango

Autores

  • Maria Cristina de Oliveira EMBRAPA
  • Uilcimar Martins Arantes EMBRAPA
  • José Henrique Stringhini EMBRAPA

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n1p203

Palavras-chave:

Densidade óssea, Eletrólitos, Equilíbrio ácido-base, Frangos de corte

Resumo

Avaliou-se o efeito do balanço eletrolítico dietético (BED) sobre parâmetros ósseos e da cama de frangos. Foram utilizadas 960 aves de 7 a 21 dias e 816 aves de 22 a 38 dias de idade, no primeiro e segundo experimentos, respectivamente, distribuídas em delineamento inteiramente ao acaso, com quatro tratamentos, 200, 240, 280 e 320mEq/kg, e quatro repetições. A cama foi analisada quanto à umidade, pH, amônia volatilizada e densidade. O fêmur foi pesado e analisado quanto à densidade óssea, morfometria e índice peso/comprimento. O BED não afetou (P>0,05) o osso e nem o pH, amônia volatilizada e densidade das camas aos 21 dias, porém, houve efeito linear crescente (P<0,02) do BED sobre a umidade (Ŷ= 24,10 + 2,19X, R2=0,37). Não houve efeito (P>0,05) de tratamentos sobre o pH e a amônia volatilizada da cama aos 38 dias de idade. O teor de umidade (Ŷ = 35,01 + 3,30X, R2=0,29) e a densidade (Ŷ = 194,17 + 31,12X, R2=0,54) da cama aumentaram (P<0,03) quando o valor de BED ultrapassou 280mEq/kg. Concluiu-se que dietas com BED de 200mEq/kg podem ser utilizadas para frangos de corte sem prejuízos para os parâmetros ósseos e da cama de frango avaliados.

Biografia do Autor

Maria Cristina de Oliveira, EMBRAPA

Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Rio Verde
Caixa Postal 244, CEP 75901-970, Rio Verde – GO, Brasil

Uilcimar Martins Arantes, EMBRAPA

Escola de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Goiiás, Goiânia – GO, Brasil

José Henrique Stringhini, EMBRAPA

Escola de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Goiiás, Goiânia – GO, Brasil

Downloads

Publicado

2010-04-26

Edição

Seção

Artigos