Efeito da luz e aeração sobre a taxa de metamorfose de náuplios para protozoea e na qualidade das larvas de Litopenaeus vannamei

Autores

  • Hadja Radtke Nunes Universidade Federal de Santa Catarina
  • Edemar Roberto Andreatta Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n2p77

Palavras-chave:

Aeração, Intensidade luminosa, Litopenaeus vannamei, Qualidade das larvas, Taxa de metamorfose

Resumo

A fim de determinar as faixas ótimas dos fatores intensidade luminosa e de aeração que refletissem na melhor taxa de metamorfose de náuplios de Litopenaeus vannamei para protozoea I e sobre a qualidade das larvas, foram realizados dois experimentos separados avaliando a taxa de virada e a qualidade das larvas após a metamorfose. Os náuplios foram expostos a quatro diferentes intensidades de luz (0, 5.000, 10.000 e 15.000 lux) e quatro condições de aeração (estática, fraca, média e forte). Os dados obtidos foram submetidos à ANOVA unifatorial (nível de significância de 5%), seguida pelo teste de Tukey para a comparação de médias. Não foram verificadas diferenças significativas entre as porcentagens de metamorfose sob as diferentes condições de luminosidade e aeração testadas (P>0,05). No entanto, a pontuação da qualidade das larvas foi significativamente menor (P<0,05) sob condição de escuridão contínua (0 lux) e no tratamento com intensidade de aeração fraca em relação aos demais tratamentos de ambos os experimentos.

Biografia do Autor

Hadja Radtke Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui graduação em Engenharia de Aqüicultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003) , mestrado em Aqüícultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (2007) e curso-tecnico-profissionalizante pela Escola Técnica Federal de Santa Catarina (1998) . Atuando principalmente nos seguintes temas: taxa de metamorfose, salinidade, temperatura, intensidade luminosa, aeração e Litopenaeus vannamei.

Edemar Roberto Andreatta, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduado em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria (1976), mestrado em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria (1978) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1999). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina e chefe do departamento de Aquicultura. Atua na coordenação do Grupo de Pesquisa dedicado ao controle das enfermidades do camarão. Na área internacional, é Coordenador da Rede de Nutrição em Aquicultura do CYTED e tem liderado a formação de um bloco multilateral para o enfrentamento das enfermidades do camarão na América Latina. Estará desempenhando o cargo de Diretor do Centro de Ciências Agrarias da Universidade Federal de Santa Catarina de 2009 a Dez de 2013.

Downloads

Publicado

2010-04-08

Edição

Seção

Artigos