Contribuição do ácido giberélico no tamanho de frutos do tomateiro

Autores

  • Ricardo Antonio Ayub Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Bráulio Luciano Alves Rezende Instituto Federal do Espírito Santo (IFES)

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7925.2010v23n4p25

Palavras-chave:

Ácido giberélico, Lycopersicon esculentum Mill., Produção

Resumo

Com o objetivo de avaliar o comportamento de frutos de tomateiro submetidos a concentrações crescentes de ácido giberélico (GA3), implantou-se um ensaio no município de Irati-PR, em uma área comercial de tomate cv. Fanny, em setembro e conduzido em sistema de cerca cruzada com uma haste por planta. Os tratamentos utilizados foram: 0, 30, 60, 90 e 120ppm de GA3, aplicados quando o diâmetro dos primeiros frutos do segundo cacho atingiu aproximadamente 10mm. Na colheita, quando os frutos apresentavam 30% a 50% de cor vermelha, foram avaliados a massa fresca,  comprimento, diâmetros longitudinal e transversal do fruto. A aplicação de 120ppm de GA3 proporcionou máxima massa fresca e dimensões de frutos de tomate cv. Fanny.

Biografia do Autor

Ricardo Antonio Ayub, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Eng. Agrônomo pela Universidade Federal de Viçosa (1987), mestre em Fitotecnia pela Universidade Federal de Viçosa (1990) e doutor em Biologia Celular e Molecular - Ecole Nationale Superieure Agronomique de Toulouse (1995) onde também fez o pos doutorado (2008). Atualmente é professor associado da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Atuando principalmente nos seguintes temas: biotecnologia, cultura de tecidos, manejo de pomares e pós colheita de frutos. Foi coordenador do mestrado em Agronomia da UEPG e membro do comite do PIBIC. Consultor ah doc da Fundação Araucaria, FAPEMIG, FAPITEC/SE, CAPES e CNPq, UTFPR, membro do conselho editorial da Revista Brasileira de Fruticultura (Qualis B1), e revisor de diversos periódicos nacionais e internacionais. Projetos aprovados no CNPq, CAPES, Fundação Banco do Brasil, Fundação Araucaria e como colaborador em projetos em rede pelo FINEP. Bolsista produtividade da Fundação Araucária.

Bráulio Luciano Alves Rezende, Instituto Federal do Espírito Santo (IFES)

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003), mestrado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2004) e doutorado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008). Atualmente é Professor do Instituto Federal do Espírito Santo, Campus de Vila Velha. Atuo na área de Agronomia, com ênfase em Fitotecnia , atuando principalmente nos seguintes temas: Manejo e Tratos Culturais de Hortaliças e Plantas Medicinais, Cultivo Consorciado de Hortaliças, Nutrição de Plantas e Cultivo Protegido de Hortaliças.

Downloads

Publicado

2010-01-01

Edição

Seção

Artigos